25 julho 2019

Resenha: Outsider - Stephen King

em 25 julho 2019

9 comentários

O corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas.
O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido.
Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.

                                                 Ficha Técnica Da Obra
Páginas: 528 | Ano: 2018 | Idioma: Português | Editora: Suma | ISBN: 9788556510679 | Gênero: Suspense / Ficção / Literatura Estrangeira | Skoob | Livro gentilmente cedido em parceria com a editora

                          Compre: ♥AMAZON SUBMARINO AMERICANAS


Havia um banco de granito bem no meio, e estava coberto de sangue. Muito sangue mesmo. E tinha mais embaixo também. O corpo estava caído na grama ao lado do banco. Pobre garoto. A cabeça estava virada na minha direção, os olhos estavam abertos, a garganta não existia mais.

Terry Maitland, um treinador muito amado da Little League e pai perfeito, marido e vizinho é acusado de cometer um crime hediondo e indescritível. Um menino de onze anos foi encontrado assassinado e violado em um parque da cidade local, e todas as evidências em forma de impressões digitais e testemunhas oculares apontam para Maitland como o assassino.

Mas há uma pegadinha: Maitland estava fora da cidade naquele dia e câmeras de segurança confirmam sua presença em um evento massivamente assistido fora da cidade. Como ele poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo? Maitland encontrou uma maneira de cometer o assassinato perfeito? Ou ele poderia ser inocente e o verdadeiro assassino ainda continua andando pelas ruas?

Em Outsider, não há suspense psicológico ou comédia debochada. O detetive Ralph Anderson é o novo conselheiro de King, desesperado por respostas que ele não consegue encontrar. Anderson quer a pena de morte para Maitland, mas muitas coisas o incomodam, o que ele não pode ignorar, fazendo dele, em certo sentido, tanto o promotor quanto o conselho de defesa involuntário de Maitland. Ele se refere ao caso como "um maldito melão cheio de vermes", e o imaginário permanece fortemente como uma sombra do que está por vir.

- Não parece um monstro parece?
- Eles quase nunca parecem.

King começa este em um ritmo muito lânguido, como fazem muitos de seus romances mais longos, este com declarações policiais detalhadas e relatórios de autópsia, mas quando pega o ritmo, Outsider se torna perigosamente viciante. À medida que a verdade da culpa ou inocência de Maitland se torna embaçada pelo impossível e improvável, um personagem carismático e estimado da trilogia de Mr. Mercedes faz uma importante aparição, transformando o caso e todos os personagens de Outsider, os guiando em uma direção completamente diferente, não totalmente ou completamente inesperado.

Não é incomum para King fazer menções entre seus romances ou participações de personagens. Derry e Castle Rock são cenários frequentes. O cozinheiro Dick Halloran aparece em ambos, O Iluminado e  It, A Coisa e um sinistro eclipse solar aparece em Gerald's Game e Dolores Clairborne.

Sete é um número mágico também. Há muitos outros exemplos de multiversos de King ligando um ao outro, então não é surpresa quando em Outsider nós temos as mesmas interconexões. Se há alguma coisa, os leitores constantes de King passaram a esperar elementos de seus trabalhos anteriores como peças de um quebra-cabeça muito maior.


Será que o monstro dentro dele não só tinha matado o garoto como também apagado todas as lembranças do ato? E depois… o quê? Preenchido as lacunas com uma história detalhada e falsa de uma conferência de professores em Cap City?

Definitivamente existe um bicho-papão em Outsider, mas King torna difícil descobrir. Ao misturar um pastiche de contos assustadores das esposas e lendas boca-a-boca de diferentes culturas e civilizações, King nos deu o monstro supremo para esses tempos muito assustadores. Aquele que se mete em medos subconscientes e segredos bem guardados, o que torna tudo muito real.

É um romance rápido com personagens diversos e bem pensados ​​e algumas revelações horripilantes.
Mas eu encorajo você a ler este livro, tirar um fim de semana, ficar confortável e mergulhar na história de Terry e Ralph e do mundo ferrado ao redor deles..

Amigos, peço desculpas por escrever uma resenha tão curta, mas, se eu for além disso, vou entregar para vocês elementos da história que com certeza vão atrapalhar na leitura e na apreciação do livro.
Recomendo forte! Mesmo quem nunca leu King, vai amar sentir medo nessa história incrível!

Foi nesse momento que ele foi tocado. Acariciado na nuca por uma mão tão quente quanto uma compressa. Tentou gritar e não conseguiu. Seu peito estava fechado como a Glock no cofre. Agora, outra mão se juntaria à primeira, e o sufocamento começaria.

A edição da Suma é clara e caprichada, a versão tem orelhas e folhas amareladas. Não percebi nenhum erro de revisão ou publicação. As letras em formas grandes, ajudaram meus olhinhos cegos. ♥



9 comentários:

  1. Aaahhhh, como eu amo esse livro. Tenho um super apego nele, por ter sido o primeiro King que veio da Suma pra eu resenhar. E eu sou A LOKA do King, gente!!!
    Livro que dei 5 estrelas sem pensar duas vezes. Eu li ele de uma vez... a história me fisgou. Eu amo quando King se mete a escrever thriller, mas aí ele pensa que tem que meter um sobrenatural no meio. E pra melhorar tudo, traz nossa amadinha lá da trilogia Bill Hodges.
    Eu amo esse homem! Adorei sua resenha. E concordo... não dá pra escrever muito, porque senão começamos a soltar o que não devemos. hahahahhaa

    Abraços

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  2. Não achei sua resenha pequena, achei na medida viu. A cada opinião que leio dos livros do King fico mais curiosa, preciso começar a adquirir os títulos dele (vou pensar em um projeto para os próximos anos).
    Enfim amei conferir suas impressões e fiquei bem curiosa. Essa edição parece estar linda mesmo. Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nada do autor, mas sabe o que mais me encantou em sua resenha? É que o leitor fica curioso e isso instiga até o final, estou certa? Pelo jeito é aquele livro que você não consegue desgrudar até descobrir sobre o bicho-papão. Gostei e quero dar uma chance a ele!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  4. Oiiii tudo bem???

    Preciso me aventurar e ler mais King, conhecia o livro, mas não a historia e fiquei bem curiosa pra saber mais sobre esse enredo. Pretendo ler em breve. E essa história de bicho papão??? #curiosa
    Adorei a resenha
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é um dos que desejo ler em breve, curto demais SK e essa história deve estar fenomenal. Espero estar realizando essa leitura em breve.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Ainda não tive oportunidade de ler algo do autor, mas fiquei bem curiosa sobre essa história. Por ser rapidinha, acredito que me arriscaria primeiro com narrativas do estilo. Morro de medo de bicho papão, mas está na hora de tomar coragem né?! Ótima resenha e fotos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Ainda não li nada do King, mas sempre leio as resenhas de livros dele e muitas me intrigaram e aguçaram minha curiosidade, mas cadê coragem? rsrs
    É o mesmo com esse livro, parece muito bom e assustador, o que me deixa curiosa e com medo ao mesmo tempo..
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  8. Oi oi querida,
    Não li nada do King mas pretendo ler em breve. Como a sua resenha foi bem sincera e muito esclarecedora sobre o enredo criado pelo King nessa obra. Gostei como você cotou citações na resenha para eu ver um ponto de vista do protagonista.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  9. Oi Aline, como está?
    Se eu minimamente conheço a obra do King, posso esperar no mínimo um negócio cabuloso para resolução, fato. Ainda mais com uma premissa dessas, que instiga o leitor a querer saber o que está acontecendo e como a polícia pretende resolver o imbróglio.
    Abraços e beijos, Lady Trotsky...
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir

TOPO