13 junho 2019

Resenha: Uma mulher no Escuro - Raphael Montes

em 13 junho 2019

7 comentários

Um crime brutal cometido há vinte anos, uma única sobrevivente, o retorno calculado do assassino. Em quem Victoria deve confiar? Neste thriller psicológico, Raphael Montes une romance e suspense em uma narrativa intrincada e sedutora.

Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar. Seu refúgio é ficar em casa e observar a vida alheia pelas janelas do apartamento onde mora, na Lapa, Rio de Janeiro.
Mas o passado bate à sua porta, e ela não sabe mais em quem pode confiar. Obrigada a enfrentar sua própria tragédia, Victoria embarca em uma jornada de amadurecimento e descoberta que a levará a zonas obscuras, mas também revelará as possibilidades do amor. Um psiquiatra, um amigo feito pela internet e um possível namorado — qual dos três homens está usando tudo o que sabe para aterrorizar a vida de Vic? E o que afinal ele quer com ela?
Na literatura nacional, Raphael Montes é unanimidade quando se trata de livros de suspense. Uma Mulher no Escuro traz sua primeira protagonista feminina e confirma o autor como um dos mais originais da atualidade — além de deixar o leitor intrigado do começo ao fim.


Ficha Técnica Da Obra
Páginas: 256 | Ano: 2019 | Idioma: Português | Editora: Companhia das Letras | ISBN: 9788535931761 | Gênero: Ficção / Literatura Brasileira / Suspense e Mistério | Skoob


Compre: AMAZON  SUBMARINO AMERICANAS 



Sabe quando alguém diz que a gente precisa dar outra chance ao autor? Pois é, anos atrás eu li um livro do Raphael e não gostei tanto como todas as outras 50 milhões de pessoas, e cometi o erro de não tentar com outro livro. Mas com o lançamento de Uma Mulher no Escuro eu fiquei super curiosa e resolvi dar a tal "segunda chance", e preciso confessar: quero todos os outros livros do autor na minha mesa pra ontem!

"Victoria sabia bem como era ter uma família e, de repente, não ter mais nada. sabia como era perder tudo num piscar de olhos."

Aqui vamos conhecer a historia de Victoria, que no seu aniversario de 4 anos presenciou a morte de toda a sua família, ela foi a única sobrevivente do massacre, porém ficou com vários traumas físicos e mentais. Vinte anos depois ela ainda luta muito para tentar viver "normalmente" em sociedade, com a ajuda de seu médico ela começa a se abrir para novas amizades, mas é bem quando ela está progredindo que sua casa é pichada com tinta preta, assim como seu ursinho de infância, do mesmo jeito que o assassino fez com sua família naquela noite.

Mas porque ele voltaria logo agora? Será que ele quer terminar o que começou anos atrás? E porque ele cometeu aquele crime com sua família? 

"Por algum tempo, conseguiria sustentar a ilusão de que ele havia desistido e ela poderia viver em paz, mas agora havia acabado."

Sabe aquele livro que você só para de ler porque precisa viver? Porque tem obrigações que infelizmente não dá pra fazer com um livro na mão? Pois então, aqui aconteceu exatamente assim! Fazia tempo que não me via tão presa em uma história assim.

A construção desse suspense é incrível, temos uma jovem super carregada de traumas mas que quando a situação complica não se paralisa, vai ate o fim para entender e tentar solucionar toda aquela confusão.

O livro tem uma escrita muito fluída, é surreal o quanto ele consegue nos prender. A melhor coisa aqui pra mim foi o modo com que o autor colocou a quantidade de personagens e detalhes certos, de modo que você não sabe pra que lado atirar, e fica se roendo de curiosidade até o final.

Para quem gosta do gênero precisa colocar esse livro na lista de leitura, Raphael Montes constrói uma história incrível, tensa e com uma personagem inspiradora, a cada pagina a historia fica melhor, e no fim você não vai acreditar no que acabou de ler... Com certeza veremos Uma Mulher No Escuro em várias listas de melhores de 2019 por aí!

"Mas a vida não tinha nada a ver com justiça, e ela aprendera aquilo bem cedo."


7 comentários:

  1. Estou no processo de leitura desse livro, por isso pulei boa parte da sua resenha, mas eu posso dizer que adoro a escrita do autor e dentro diversos nacionais que vejo por aí e já li, ele é um dos poucos que se destaca no gênero.
    Estou ansiosa por terminar essa leitura, só não concluí por ter ficado doente.. mas termino hoje com certeza. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Eu só li um livro do autor até agora e gostei muito. Tentei ler outro livro dele, mas não consegui avançar nas páginas. Mas agora estou muito intrigada e curiosa com relação a esse livro, tenho visto muitas pessoas falando dele e estou com vontade de poder ler também.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Estou vendo falar maravilhas desta obra. E parece que as histórias em que o psicopata volta depois de anos se tornou normal pois eu li um assim há pouco e vi outra resenha do estilo, e eu amo histórias assim. Adoro este suspense que ronda e torna tudo amedrontador.

    ResponderExcluir
  4. Que forte a protagonista ter perdido a família dessa forma tão horrível. :( Fiquei curiosa para saber se é realmente o assassino quem voltou ou se alguém está se passando por ele para infernizar a vida dela. Seria incrível se o próprio psiquiatra fosse o culpado. Louca para descobrir os segredos dessa história!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu tô looouca pra ler esse livro. Li uma resenha dele no Instagram e já coloquei na minha lista, pq amo thriller psicológico e esse parece ser um dos bons, por estar tendo tantas críticas boas.

    ResponderExcluir
  6. Todos os livros que eu li do autor são incríveis. Eu gosto que ele não tem medo de criar algo cru, intenso e chocante. Estou louca para ler esse livro, a capa está muito bonita.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Já entrevistei o Raphael e meu amor por ele vai muito além da literatura, que ser humano mais querido! Super atencioso e engraçado! Tô louca pra ler esse lançamento porque ele diz que é uma das suas obras queridinhas e demandou bastante tempo.

    ResponderExcluir

TOPO