14 junho 2019

Resenha: Enfim, capivaras - Luisa Geisler

em 14 junho 2019

8 comentários

Em seu primeiro livro para o público jovem adulto, a premiada autora Luisa Geisler narra uma aventura inusitada de cinco jovens em busca de uma capivara perdida.

A cidade no interior de Minas Gerais para onde Vanessa se mudou é o tipo de lugar onde anunciam os horários do cinema e os obituários com o mesmo carro de som. Nada de muito interessante acontece por lá, a não ser para Binho, que, segundo ele mesmo, tem várias namoradas e conhece um monte de cantores sertanejos famosos.

A verdade é que Binho é um mentiroso contumaz e agora passou dos limites: inventou que tem uma capivara de estimação. Cansados das histórias cada vez mais mirabolantes do garoto, Vanessa se junta aos amigos — Léo, Nick e Zé Luís — para desmascará-lo. E eles estão decididos a ir até as últimas consequências. Narrado durante as doze horas de uma noite regada a álcool, salgadinhos, segredos e romances mal resolvidos, Enfim, capivaras explora, através de diferentes pontos de vista, os relacionamentos entre um grupo de adolescentes em busca de uma capivara — ou muito mais do que isso.


Ficha Técnica Da Obra
Páginas: 208 | Ano: 2019 | Idioma: Português | Editora: Seguinte | ISBN: 9788555340857 | Gênero: Ficção / Jovem adulto / Literatura Brasileira | Skoob

Compre: AMAZON  SUBMARINO AMERICANAS 




"Mas talvez toda história seja um recorte que veio de outra história. Toda história é parte de uma história maior. A gente sempre chega no meio de uma história e sempre sai antes que acabe."

Enfim, Capivaras foi a minha última leitura, e meu primeiro contato com a autora Luisa Geisler. Em seu primeiro YA vamos acompanhar cinco amigos - Léo, Nick, Zé Luis, Vanessa e Binho - em uma aventura no interior de Minas, nas doze horas mais malucas de suas vidas, atrás de uma capivara.

Sabe aquela cidadezinha mineira bem do interior, onde todo mundo conhece todo mundo e você é cheio de histórias pra contar daquele vizinho, do filho da moça do mercadinho ou até mesmo do locutor do carro de som? Assim é que é a chapada de Pytuna, uma cidadezinha ali pelo norte de Minas, onde só existe um cinema e ninguém sabe quando foi que se tornou amigo.

Léo, Nick, Zé Luis, Binho são amigos há anos, e agora Vanessa acaba de se mudar e entrar para esse 'grupinho' onde cada um é o completo oposto do outro. Nick é a gótica misteriosa, Léo o playboy filho do fazendeiro, Zé Luis o filho da empregada da família do Léo, e Binho... é um mentiroso que vive falando que conhece várias pessoas famosas, que conhece tudo sobre qualquer assunto e agora inventou que tem uma capivara, a Capi.

Mas esse grupo de amigos está cansado das mentiras de Binho, eles só querem que ele assuma que quase tudo que diz é mentira, e para forçá-lo a encarar suas mentiras eles são atrás da sua capivara, a qual obviamente fugiu um pouco antes de eles chegarem em sua casa. E é nessa aventura que vamos conhecer a essência de cada personagem, coisas que escondem dos seus amigos porque temem não serem compreendidos, e também descobrir que por mais diferentes que sejamos dos outros, ainda assim pode haver amizade e companheirismo.

Enfim, Capivaras é aquele livro que faz você se identificar, principalmente se sabe como é viver em uma cidadezinha do interior e tem um grupinho de amigos que se conhecem desde sempre. Como mineira do interior eu me vi na história em muitos momentos, eu lembrei da época que só havia um cinema que abria só em alguns dias e que não havia McDonalds por aqui, e é claro da época que eu tinha amigos de rua que simplesmente foram chegando e criando um laço de cumplicidade, coisa que é muito difícil de acontecer hoje com tanta tecnologia.

E a capivara, como não amar? Mesmo sendo um bicho que é super normal no Brasil, eu nunca tinha visto nenhum autor inseri-las em seus livros, e eu achei muito fofinho o modo como Luisa inseriu esse porquinho da índia gigante na história, e me bateu ainda mais nostalgia da época que eu ia pescar com meu avô em um rio aqui perto (o famoso Caixão, pra quem é do sul de MG) e via capivaras passeando por lá.

"Em todo aquele oceano de supostas capivaras psicodélicas, ela era uma constante."
A história toda se passa em um período de doze horas, e eu nem senti as duzentas páginas passando. Quando recebi a prova antecipada já fui correndo ler, e quando reparei já tinha lido 60% e estava cada vez mais interessada nessa história, em descobrir mais sobre esses amigos e é claro descobrir se iriam mesmo conseguir desmascarar o Binho.

Não posso dar muitos outros detalhes pra vocês, mas posso dizer com certeza que se você é fã de YA vai adorar essa história, Luisa trás um cenário tão vívido e um grupo de amigos tão real que você praticamente se vê ali naquela bagunça atrás da Capi, com uma vodka saborizada na mão e uma vontade imensa de fazer Binho confessar que é um mentiroso.

Sem muitas mensagens filosóficas ou revelações surpreendentes, Enfim, Capivaras encanta pela simplicidade e pela identificação. É um livro para ler em poucas horas, e que dá aquele quentinho no coração quando se termina. Recomendo muito também pra quem precisa de uma leitura mais leve pra sair da ressaca literária, com certeza vocês vão amar.

"Quando não julgamos, as coisas são sempre a melhor versão delas."

#EnfimCapivaras #NetGalley 


8 comentários:

  1. Acho que a parte mais interessante é usar de uma cidade de interior e as capivaras hahahaha, achei inusitado e muito criativo na parte da escrita. Precisamos de coisas novas, mesmo que isso sera bem anormal!
    Vou procurar ler o livro e te confesso que nem pela aventura dos personagens, mas pela CAPIVARA.

    ResponderExcluir
  2. Ahhh eu amo capivaras hahahahahahahaha
    Já gostei da premissa por causa disso haha.
    Gostei da sua resenha e me interessei pela leitura.
    Imagino que deve ter sido rápida, divertida e reflexiva. Dica anotada

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Olá, Stalker
    Tudo bem?

    Amei as CAPIVARAS hahaah elas precisam de mais espaço na literatura sim!
    brincadeiras a parte, vemos aqui um rupo de amigos , diferentes e que se complementam ... um pato cheio para livros YA. (gosto muito)
    Achei fofa sua foto (a meia é um arraso, kkk)

    Fiquei super curiosa em conhecer essa cidadezinha do interior.


    Beijos e Cheiros
    http://www.livreando.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    admito que a primeira de vista esse livro não me chamou muito a atenção, já até tinha descartado a possibilidade de leitura. Contudo sua resenha me mostrou que posso esperar muito mais dessa história do que alguns adolescentes correndo atrás de uma capivara que talvez nem exista rs. Fiquei curiosa para acompanhar nessas 12hs de busca.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Não conhecia esse livro, me parece uma aventura pra lá de bom kkk, parabéns pela resenha aparentemente não leria um livro assim, mas por sua resenha fiquei curiosa em saber se vão encontrar a capivara ou se é mentira de Binho mesmo, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline.

    Sou de Minas Gerais e sei como é as cidadezinhas mineiras do interior, todo mundo sabe de todos da região. Adorei sua resenha pois ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre o livro e sua opinião aumentou minha curiosidade. Preciso lê-lo logo para saciar minha curiosidade. Parabéns pela resenha.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Achei o enredo bem inovador e fiquei com a impressão que combinou bem com o gênero. Não conhecia essa obra mas suas observações sobre a leitura, a facilidade com que o autor trouxe mensagens bacanas de forma simples e esses personagens me deixou curiosa para embarcar nessa história.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Agora estou doida para ler esse livro! Amo histórias que se passam em pequenas cidades mineiras como a minha e essa premissa dos amigos em busca de descobrir se a capivara existe mesmo é super interessante. Amei a resenha.

    ResponderExcluir

TOPO