02 maio 2019

Resenha: Eu Acho Que Você é Meio Doido, Sim - Nath Araujo

em 02 maio 2019

16 comentários


Este livro é sobre você!
Sempre que conheço alguém novo, essa pergunta me vem à cabeça: como chegamos aqui? Eu não chego a perguntar, porque nem todo mundo lida bem com perguntas estranhas logo na primeira conversa, mas eu penso.
Vamos analisar, por exemplo, eu e você. Ao invés de ler este livro, você poderia estar lavando louça (espero não ter te lembrado de algo), esbarrando no amor da sua vida e derrubando livros do jeito mais clichê do mundo, ou construindo um dragão ciborgue.
E eu? Cá estou, escrevendo, enquanto ouço o gato miar do lado de fora do quarto depois de onze tentativas de fazê-lo se comportar na presença de um computador. Eu poderia estar no Palácio de Buckingham (nem sei falar isso em voz alta), ou apenas dobrando a pilha de roupas que deixei no pé da cama, mas estou aqui. As duas possibilidades são remotas, mas elas existem, ok? A gente nunca pode se esquecer de que a vida é muito louca.
O livro é exatamente sobre isso. Sobre ser quem você é, por mais doido que a ideia e você sejam. Vamos tentar esquecer a palavra “doido” por um momento, apesar de ela estar no título do livro, e focar em “você”. Você. V O C Ê. Não entendeu nada? Então corre para a primeira página...

Ficha Técnica Da Obra

Páginas: 160 | Ano: 2018 | Idioma: Português | Editora: Planeta | ISBN: 9788542214222 | Gênero: Nacional; Crônicas | Skoob | Livro recebido em parceria com editora  

                                
                                   Compre: ♥AMAZON ♥SUBMARINO ♥AMERICANAS
                    
                                   

Eu Acho Que Você é Meio Doido, Sim foi um livro que chamou a minha atenção logo no evento dos blogueiros que foi anunciado o livro, eu sempre me acho meio doida, e com certeza esse livro comprovaria minha teorias. E ao ver no IG da Planeta que a autora teve medo do ET de Varginha na infância, eu tive a certeza que queria ler esse livro (pelo menos pra brincar que eu sobrevivo ao ET todos os dias hahaha).

Com um visual todo branco, preto e rosa Nath criou um livro divertido, que mescla suas experiências pessoais com "conselhos" para nos mostrar que ser meio doido é normal, aliás, ser meio doido é muito bom, pois mostra que somos únicos, que não nos importamos tanto com o que as pessoas pensam e assim podemos ser o que desejamos, sem se importar muito e caber nas caixinha que a sociedade tente a nós enfiar durante toda a vida.

O livro e divertidíssimo, todo interativo para compartilharmos nossas listas de coisas que nos matam de vergonha, coisas que fazíamos quando éramos pequenos e que odiávamos fazer. Testes para nos conhecermos melhor, listas de coisas doidas que fazemos é até mesmo espaços para desenharmos ou então colorirmos os desenhos da Nath.

Eu me identifiquei muito com a Nath, ela é uma daquelas pessoas que com certeza só de chegar na sua vida já dá vontade de chamar de BFF, além disso ela é mineira (do interioooor), tem medo do ET de Varginha e tem um gato preto cheio de personalidade. Seus textos sobre o Samuel me fizeram rir muito, e ficar pensando em o quanto eu sou mais feliz depois de adotar os meus três (tá, talvez eu morra de raiva com o Chloe às vezes, mas a calmaria do Lupim e a fofuras da Meia-noite equilibram essa relação), e assim como a Nath eu recomendo demais que adorem um gatinho viu, vocês nunca se sentirão entediados, e vão rir muito das artes que eles fazem

Eu acho que você é meio doido, sim é um livro muito fofinho e rapidinho, daqueles que a gente leva pra ler no ônibus e quando vê já terminou (ou perdeu o ponto e nem percebeu), mas ainda que bem simples em sua proposta, ele consegue trazer um pouquinho de alegria pra vida do leitor, e mostrar que tudo bem ser meio doido, tudo bem não se encaixar nos rótulos e gostar de bandas dos anos 80 que ninguém mais lembra que existe, pois esses detalhes e que fazem de você quem você é, e no final é isso que importa, ser você mesmo, por mais doido que você pareça.


16 comentários:

  1. Esse é aquele tipo de livro que eu escolheria numa livraria só pelo nome (que é bem peculiar, vamos combinar - hahahaha). Parece ser uma leitura bem leve e divertida, o tipo de livro que estou precisando no momento (só estou lendo livros tensos e isso tem acabado comigo). Acho que darei uma chance a ele.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Logo de cara essa edição toda bem trabalhada e com cores vivas chama a atenção do leitor.
    Devem ser experiências muito legais e divertidas de ler, o livro é curtinho, o que me faz pensar que é uma leitura rápida.
    Adorei sua resenha, se eu tiver a oportunidade de ler o livro futuramente, com certeza não exitarei.

    ResponderExcluir
  3. Ainda tenho um pé atrás com livros lançados por blogueiros ou youtubers. Nesse caso é interessante, mas não para mim. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  4. Tudo bem?
    Não conhecia o livro. Confesso não ser fã de livros lançados por blogueiros, youtubers, li alguns que detestei. Seu post trás uma boa perspetiva do que esperar desse livro, mas ainda assim, dessa vez, não me chamou atenção.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bem?

    Acho que o título do livro super combina comigo, menina kkkkk Acho que nunca li algum livro mais ou menos nesse estilo, mas acredito que eu vá gostar bastante, pelo o que você falou na sua resenha sobre o livro, me parece que tudo dá um sentimento de realidade que eu gosto bastante.
    Obrigada por compartilhar!!

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nenhuma obra de blogueiros, mas confesso que tenho curiosidade de ler, quem sabe esse não seja o meu primeiro? Anotei a dica para uma leitura futura.

    ResponderExcluir
  7. Concordo ser meio doido é o máximo. É vida! Até porque não existe ninguém 100% normal e o que é ser normal?
    Adorei saber do livro através da sua resenha e com certeza o lerei, vou ver se acho pra comprar pela internet agora.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  8. Amei conhecer esse livro pelo seu post! O título já chama super a atenção. Adorei saber que a autora é de Minas também, nossa terrinha maravilhosa. Legal ele ser interativo e trazer alegria ao leitor.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. A sua resenha me fez lembrar dois livros de crônicas que me marcaram bastante pela simplicidade e pelo poder do "tudo bem" ser assim, viver assim, e por aí vai. Que foi "A menina que colecionava borboletas" da Bruna Vieira e o "Pó de Lua" da Clarice Freire. Gosto demais de histórias dia a dia , gente como a gente, me tocam de uma maneira especial. Não conhecia a autora e amei o título do livro. Certeza que vou dar uma chance. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  10. Fiquei apaixonada por essa capa. Não conhecia o livro ainda, e amei saber que é uma leitura rápida e divertida. Fiquei louca para ler. Amei a resenha!

    ResponderExcluir
  11. Eu acompanho a Nath no Youtube e acho ela mega divertida! Hahahha. Não sabia que ela tinha lançado livro mas já quero ler pra ontem porque tenho certeza de que assim como você, vou me identificar demais! Obrigada pela dica e pela contextualização haha me lembrou o livro da Manu Gavassi.

    ResponderExcluir
  12. Eu ainda não tinha ouvido falar deste livro, acho. Mas gostei da proposta. Só a sinopse já me divertiu. Eu me considero uma pessoa doida (sempre soube disso) e depois que me transformei em leitora e passei a "viver" as histórias tão intensamente, tive a certeza que já deveria ter sido internada num hospício, mas não me colocaram lá por falta de vaga.rs

    Eu já adotei muitos gatos ao longo da vida. Teve uma época que tive oito gatos de uma vez. Todavia, eles iam para a rua e as pessoas são más, então eu os perdi e a dor até hoje é muito forte. Atualmente tenho só uma gatinha e ela é a luz da minha vida. Nunca a deixo ir à rua sem mim, pois aprendi minha lição.

    ResponderExcluir
  13. olá... confesso que esse livro não tem nada a ver comigo rsrs não faz mesmo meu estilo literário. mas pra quem aprecia leituras leves, deve ser encantador e passa uma mensagem legal...
    mas sobre a parte de curtir bandas dos anos 80, isso foi super eu na vida hahahaha

    bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Aline, como está?
    Esta aí um tipo de livro com o qual eu COM CERTEZA me identifico porque eu sou meio doida, aliás totalmente, assumida e sem medo de ser feliz.
    Primeiro, que não sou padrãozinho (tenho asco dessa palavrinha), segundo, meus gostos literários, televisivos e cinematográficos saem MUITO da curva e inclusive há quem se surpreenda quando sabe disso e terceiro, eu não tenho medo de dizer o que penso e sinto. Comigo falsidade não tem vez.
    Abraços e beijos, Lady Trotsky...
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Eu to precisando de um livro assim para ler. Só o titulo já me chamou muita atenção, acho que todo mundo tem um pouco de "doido" em si hahaha e poder se identificar em uma leitura desse tipo parece ser bem divertido e gostoso. Vou adicionar na minha lista!

    ResponderExcluir
  16. Oiii, tudo bem? Nem sabia que a Nath tinha livro!!! Eu acompanhei o trabalho dela lá no inicio, com as ilustrações maravilindas!
    Nossa eu amei a sua resenha e já quero para ontem!!!
    Um beijo.

    ResponderExcluir

TOPO