04 março 2019

Resenha: Angústia na cidade do caos - Lennon Lima

em 04 março 2019

17 comentários


“Jamais esqueceria o riacho de sangue que se formava.”
E a Angústia veio a cair na Cidade do Caos. Revestida de carne humana e trajes civis. A carne, caucasiana. Os trajes, masculinos. O semblante? Banal. Estirada no capinal costeiro a um cemitério clandestino, é descoberta pelo coveiro de uma comunidade miserável assolada pelo poder paralelo. Ferida, mas não ensanguentada. Confusa, mas sã. Preocupada, mas determinada... Sem recursos, sem identidade, sem passado. Acolhida na casa do jardim de cadáveres, inicia busca para desvendar os mistérios que envolvem o seu passado e a causa de se encontrar em ambiente tão árido – e perverso. Conforme testemunha fenômenos perturbadores ao interagir com os habitantes da favela, descobre-se em uma jornada que excede os limites do consenso de realidade, que desafiará a sua aptidão de permanecer imune aos silvos ardilosos da loucura…

                                                        Ficha Técnica Da Obra
Páginas: 348 | Ano: 2018 | Idioma: Português | Editora: Multifoco | ISBN: 9788582735053 | Gênero: Literatura brasileira, romance, suspense, mistério | Skoob | Recebido em parceria com autor.


                                     

Hoje temos a resenha deste livro nacional enviado pelo autor. Confesso que demorei mais do que queria para iniciar a leitura e não fui cheia de expectativas, tanto por ser nacional, que confesso, não é o que eu geralmente leio, e por ser ficção, que também foge um pouco do meu estilo de leituras. 
Neste livro conhecemos a história de 3 pessoas que se cruzam em um ambiente dominado por facções e desespero. A comunidade tem esse nome de Cidade do Caos por exatamente ser assim: caótica e extremamente violenta.

A princípio não entendemos o fato de um dos protagonistas ter surgido na história desacordado, no meio de uma estrada de terra, sendo encontrado por um velho. Mas quando entramos de fato na leitura, somos atirados numa cidade suja e violenta, dominada por duas facções poderosas e comandas por bandidos cruéis, e ao entendermos e conhecermos aos poucos os protagonistas, vamos captando cada pedacinho dessa teia.



Do riso ao choro. Do calor ao frio. Da velocidade absurda à sonolência.



A narrativa em terceira pessoa deixa a leitura fácil, e a linguagem é simples e rápida. O autor teve muita competência em criar diálogos reais e bem próximos do que escutamos e falamos, é de fato uma história brasileira. O enredo é diligente. Os fatos da trama vão acontecendo rapidamente por nossos olhos, e em cada folha temos uma nova reviravolta, uma nova informação que cria mais proximidade com a história.

O que me deixou bastante admirada, foi a criação que a trama teve. Achei muito legal, e lendo você se lembra de filmes, ou até mesmo de novelas nacionais, onde há disputas de terras e controle, neste caso entre dois irmãos, que por diversos motivos se viraram um contra o outro e decidiram que cada um ia 'governar' a seu modo. Temos disputas e diálogos bem vívidos, gerados do ódio entre eles, e esse ódio resvala em toda a cidade e seus moradores, resultando dele caos e mais caos. 

Um destaque para nosso protagonista achado na estrada. Ele tem todo um mistério, o fato de não se lembrar de quem é, o que fazia deixa tudo mais legal, e a maneira como a história gira em torno dele e de como as outras pessoas reagem a ele também é muito bacana. Você fica se perguntando o que diabos esse rapaz tem, qual sua história, e eu achei o final bem satisfatório, sabendo que é aberto e que este é apenas o primeiro de uma trilogia. 



Recomendo pra quem quer fazer uma leitura boa, cheia de realidade e sufoco, simples e fácil. 





17 comentários:

  1. Que bom que você foi sem muitas expectativas e a leitura tenha sido agradável mesmo abordando um gênero que você não costuma ler, e de ser de um autor nacional. Bom, eu ainda não conhecia esse livro e fiquei surpresa pela história já que gosto muito de ficção principalmente que trata sobre a realidade Brasileira. Outro ponto que gostei foi o fato dos diálogos serem reais, a narrativa ser em terceira pessoa deixando a leitura rápida e envolvente.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aline.
    Bacana você ter se surpreendido. Tem horas que é bom mesmo a gente pegar um livro para ler sem muita expectativa!
    Achei a trama bem interessante! Quem sabe eu consiga dar uma chance para esse livro...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Oi, Aline!
    Eu adorei a ideia do livro! Costumo ler tanto autores nacionais quanto estrangeiros e uma coisa que me incomoda um pouco ao ler autores nacionais é perceber que eles criam nomes e cenários que não condizem nada com a realidade de uma história que se passa no Brasil. Gostei muito de saber que esse autor não agiu dessa forma e conseguiu criar uma obra realmente brasileira, que usa o nosso modo de se expressar e etc. A história também parece muito interessante pela questão do mistério. Adorei a resenha! Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Sempre me surpreendo quando uma pessoa fala que não tem o hábito de ler livros nacionais, temos livros tão incríveis que merecem imensamente serem lidos.
    Enfim, gostei da premissa do livro, por causa da capa eu achei que seria um livro de crônicas, mas pelo visto me enganei.
    Esse mistério do personagem acordar e não saber quem é me deixou bastante curiosa a respeito, e achei bem diferente o lugar ser comandado por facções criminosas Dica anotada!

    ResponderExcluir
  5. Oi Aline,
    Eu não tinha o hábito de ler livros nacionais até a Bienal do Rio de 2017. Uma amiga minha disse que o legal da Bienal era ter contato com os autores nacionais. Conheci várias autoras e grandes obras.
    Com amor, André
    Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline,
    Esqueci de falar que não curto histórias tão realistas, prefiro as histórias fantásticas e/ou românticas.
    Com amor, André
    Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  7. Oiê! Olha, eu poderia ter pegado a leitura, mas aí você não iria ter lido e gostado! Que bom que foi uma leitura agradável e que surpreendeu você! Depois envia pra eu ler também! Achei legal ser uma obra real e bem brasileira.

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥ ~

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Acho que o enredo é audacioso e bem perspicaz. E me admiro bastante que temos autores nacionais tão competentes quanto os internacionais.
    Sua considerações aguçaram minha vontade e espero ter oportunidade de conhecer em algum momento.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Olá.

    Confesso que não conhecia o livro, mas gostei de saber mais sobre ele. Fico feliz em saber que a narrativa em terceira pessoa tenha fluído muito bem!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  10. Oi Aline!
    Gosto bastante de ler livros nacionais, estou sempre vendo alguns lançamentos e sendo sincera não estou surpresa pois nossa capacidade de escrever e inventar são maravilhosas. Parabéns pela resenha, fiquei curiosa em saber mais sobre essa obra e sobre o autor, parabéns pela resenha, dica anotada, bjs!

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho lido mais livros nacionais desde o ano passado. Pelo menos, um por mês. Todavia, apesar de achar que "Angústia na Cidade do Caos" é realmente um bom livro e ter apreciado muito a sua resenha, não creio que lerei a história. Por tratar de facções e tanta violência, num país onde isso faz parte da vida de muita gente, que acaba sendo vítima de todo este caos, de toda esta disputa e crueldade. Me basta ver isto na realidade. Não quero encarar um livro de ficção sobre este assunto.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Olá tudo bem? Não conhecia o livro, mais confesso que inicialmente ja me senti atraída por ele, o título e capa são muito chamativos, gostei muito da resenha, acredito que a obra aborda a realidade de muitos, quem sabe consigo ler ele em breve!, Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Aline. Não conhecia o livro e ao ler sua resenha fiquei curiosa sobre ele, adorei o título e a capa. Anotei a dica,quem sabe rola uma oportunidade de realizar a leitura né?

    ResponderExcluir
  14. Olá Aline!!!
    Eu também sei como é ler algo fora da sua zona de conforto e que bom que o autor conseguiu de segurar na história e trabalhar na mesma muito bem.
    Achei o enredo interessante por ter um protagonista que não lembra de nada e isso fazer com que outros personagens se ligassem a ele.
    Gostei da resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Fico feliz quando vejo autores nacionais sendo bem elogiados pelos leitores, ainda mais quando o gênero não faz muito o seu estilo. É a primeira vez que vejo sobre o autor e o livro, e fiquei bem interessada em ler, pois a premissa parece bastante realista. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Aline!
    Premissa interessante e chamativa, gostei da proposta do livro. Acho que realmente não é difícil se surpreender com a leitura. Curti.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  17. Gosto de personagens que estão sem memoria, parece que isso me aproxima do enredo porque aí o nível de conhecimento dele da trama é igual ao meu e vamos descobrindo tudo juntos.
    Amei a dica
    beijos

    ResponderExcluir

TOPO