20 fevereiro 2019

Resenha: A princesa salva a si mesma neste livro - Amanda Lovelace

em 20 fevereiro 2019

11 comentários

Amor e empoderamento em versos que levam os contos de fada à realidade feminina do século XXI A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace, é comparado ao fenômeno editorial Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur, com o qual compartilha a linguagem direta, em forma de poesia, e a temática contemporânea. É um livro sobre resiliência e, sobretudo, sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Não à toa A princesa salva a si mesma neste livro ganhou o prêmio Goodreads Choice Award, de melhor leitura do ano, escolha do público. Esta é uma obra sobre amor, perda, sofrimento, redenção, empoderamento e inspiração. Dividido em quatro partes ("A princesa", "A donzela", "A rainha" e "Você"), o livro combina o imaginário dos contos de fada à realidade feminina do século XXI com delicadeza, emoção e contundência. Amanda, aclamada como uma das principais vozes de sua geração, constrói uma narrativa poética de tons íntimos e cotidianos que acolhe o leitor a cada verso, tornando-o cúmplice e participante do que está sendo dito.

Ficha Técnica Da Obra
Páginas: 208 | Ano: 2017 | Idioma: Português | Editora: Leya | ISBN: 9788544106594 | Gênero: Literatura Estrangeira; Não-ficção; Poemas, poesias; Feminista | Skoob | Livro de acervo pessoal da blogueira
                                
                                   Compre: ♥AMAZONSUBMARINOAMERICANAS
                    
                                   

"A rainha
Minha mãe
Sorria
Ao me oferecer
Um torrão de
Açúcar
Na
Palma da mão.

Avidamente,
Eu aceitava.

Abria
Minha boca,
E delicadamente colocava um
(apenas um)
No centro
Da minha língua,
& eu o
Apertava.

Sal.

Isso é o que chamo de abuso:
Saber que você vai
Receber sal,
E ainda esperar receber açúcar
Durante dezenove anos.

- você pode ter ido embora, mas ainda tenho dor de estômago"
Página 19.


Acho que já perdi as contas de quantas vezes li esse livro desde a vez que ele chegou aqui em casa.Se eu fosse analisar qual é o livro mais lido da minha estante agora com certeza seria esse, e depois o da Rupi, pois essas duas autoras conseguem conversar com a minha alma de um jeito que nenhuma outra o faz. E por isso eles são meus livros de ajuda, de cura, os que eu busco nos momentos de desespero.

Mas entre Rupi e Amanda, me encontrei nas palavras da Amanda Lovelance. Talvez por ela ser uma mulher que sofreu abusos na infância, talvez por ela ter um relacionamento conturbado com sua mãe, mas principalmente por ela ser uma mulher gorda, e sofrer com isso na infância, buscando se curar de todos esses traumas enquanto escreve esse livro.

O livro contem textos com temas bem pesados e que podem servir de gatilho para algumas pessoas, como abuso sexual e emocional, auto mutilação, gordofobia... mas ao mesmo tempo que são temas difíceis. também são uma luz no fim do túnel, que ao despejar suas dores ali naqueles versos Amanda nos mostra como foi seu processo de cura, e nos mostra que é possível nos curarmos também. Palavras são poderosas.

O relacionamento difícil com a mãe é algo que transborda das paginas deste livro, e quem ja passou por algo parecido se identifica logo de cara. Eu queria abraçar Amanda enquanto lia suas palavras, queria dizer que ela merecia muito mais, queria dizer a mim mesma que merecia muito mais, e de quebra enviar esse livro pra minha mãe também, para quem sabe ela um dia perceber o quanto marcou minha alma.

"Você pode
Não ter deixado
(muitas) manchas roxas
Na minha pele,
Mas deixou manchas
Roxas escuras gigantes
Por toda
Minha alma.
- ainda me pergunto quem eu deveria ter sido"
Página 49
Amanda também fala sobre o luto de uma forma bem crua e verdadeira, o quanto é difícil lidar com a perda (principalmente se ela vem de repente) e como nos sentimos vazios e sem chão depois de tudo. Mesmo que a vida não tenha sido de flores desde o começo, mesmo que os relacionamentos não tenham sido perfeitos, há uma dor que ficará sempre em nossa alma, pela vida interrompida, pelo que ainda poderíamos ter..

Mas é claro que o livro vai além das palavras duras. Vemos a cura, o quanto valeu a pena esperar e como o amor verdadeiro faz bem a nossa alma. É lindo ler essa parte, pois as palavras da autora são muito verdadeiras, conversam com a gente como se estivéssemos batendo um papo com nossa melhor amiga, e ao ver como uma princesa, que nasceu presa em uma torra cercada por dragões, conseguiu se libertar sozinha e achar o seu caminho ao amor próprio, temos a vontade de fazer a mesma jornada em busca desta felicidade. 

A princesa salva a si mesma neste livro conversou comigo desde a primeira página, e sempre vai estar no topo das minhas recomendações como 'Livro pra vida', pois como disse lá no comecinho dessa resenha, eu o busco muito nos momentos turbulentos, é nas palavras de Amanda que eu encontro forças para continuar aqui, continuar lutando e continuar em busca da cura para todas as feridas emocionais que estão presas na minha alma. Recomendo muito essa leitura a vocês, tenho certeza que em algum momento vão se identificar e querer guardar esse livro (e a Amanda) em um potinho - repleto de amor e carinho. 


"Gorda
(gor.da)[ô]
Adjetivo
                1: palavra descritiva .
                Não tem nenhum significado profundo.
                Não deve determinar
                O valor
                (ou a falta de)
                De um ser humano.
- o que sei agora que gostaria de saber então"
Página 25
 




11 comentários:

  1. Oi!
    Já vi várias criticas a este livro e apesar de todos os elogios fico meio receosa de embarcar nesta leitura devido aos temas que podem servir de gatilho.
    Adorei as citações que você colocou e deu para perceber a forma como o livro conversa com o leitor.
    Muito legal você ter pego tanta inspiração de um livro, reler ele várias vezes e pegar forças através de suas palavras. Espero que a autora faça mais livros assim para te inspirar.
    Abraços

    FLeituras

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Por mais críticas excelentes que eu leia sobre esse livro, não me parece ser o tipo de leitura que irá me cativar. Simplesmente não curto poemas! Preciso de longos romances para me prender! No mais, esses não são temas que me atraem!
    Uma pena, porque a edição parece ser linda demais!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não cheguei a ter nenhum contato com essas poesias contemporâneas, mas vi que tem no unlimited tanto os dois livros da Amanda como o livro da Rupi. Provavelmente é por lá que terei o primeiro contato. Gostei demais da resenha e de saber que esses poemas trazem tantos pontos fortes e vivências da autora. O único receio que eu tenho é pelo formato do poemas, com essas linhas quebradas de forma exagerada. Vi tantos comentários sobre isso que ficou na minha cabeça.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir
  4. Nada melhor do que quando um livro conversa com nossa alma, essa conexão é maravilhosa e infelizmente não acontece com tudo o que lemos. Esse livro está na minha lista de desejos assim como os livros da Rupi. Gosto muito de palavras verdadeiras, então é uma recomendação que reforça minha vontade de ler a obra.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Olá...
    Uau que livro lindo! Sua resenha esta encantadora e não duvido de maneira alguma do poder desse livro. Me encantei com os trechos que colocou na resenha, porem eu não consigo ler muito livros de poemas, um erro meu, sem duvidas. Mas me interessei pela sua resenha e ela aguçou minha curiosidade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu amo a Amanda demais! Tenho ela como preferida porque a escrita dela me parece mais direta, sem muitos floreios, sabe? E as vezes é justamente disso que a gente precisa em algumas questões. Adorei revisar esses quotes.

    ResponderExcluir
  7. Oi Aline.

    Tenho muita vontade de ler este livro, justamente por causa das criticas com elogios. Elas sempre despertam e aumentam minha curiosidade.Adorei saber que o livro contem textos com temas bem pesados. Isso é ótimo para refletir, é bem interessante. Vou adicionar na minha lista de desejados.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Que linda sua resenha, fiquei muito curiosa por ler a obra e mais por ser poesia que adoro também, parece ser uma leitura completa onde os sentimentos transbordam, entre tristezas, felicidades e encontrar seu eu verdadeiro. Parabéns pela resenha, foi bem sincera e me passou bastante sentimentos, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Amei o título irônico desse livro de poesias. Achei legal você ter tido o cuidado de informar que os temas abordados podem servir como gatilho para algumas pessoas. Obrigado pela ótima resenha, mas não curto livros de poesia.
    Com amor, André
    Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  10. Ola lindona, o título do livro é perfeito. Ainda não li observando sua resenha percebemos a gama de emoções da autora em cada poesia. Através dela suas dores, angústias são levadas ao leitor de forma intensa, entendo você ler várias vezes o livro. Vou procurar para comprar com certeza. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  11. Nossa, a questão de receber sal e ainda achar que vai receber açúcar. Que tapa na cara. Pois é, sempre esperamos pelo açúcar e mesmo assim muitas vezes a gente ainda se agrada com o sal. Por qual motivo?

    ResponderExcluir

TOPO