10 janeiro 2019

Resenha: Pôr do sol no Central Park - Sarah Morgan (Para Nova York, com Amor #2)

em 10 janeiro 2019

11 comentários


Após o grande sucesso do livro Amor em Manhattan, Sarah Morgan retorna às livrarias brasileiras com este novo romance da série “Para Nova York, Com Amor”, que vai aquecer seu coração.
Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas fará de tudo para superar os bloqueios e conquistá-la.

                                                         Ficha Técnica Da Obra
Páginas: 368 | Ano: 2018 | Idioma: Português | Editora: Harlequin | ISBN: 9788539826643 | Gênero: Chick-lit / Ficção / Literatura Estrangeira / Romance | Skoob | Recebido em parceria com editora
                                
                                   Compre: AMAZON SUBMARINO AMERICANAS
                    
                                   

O amor, essa montanha-russa de embrulhar o estômago, não era para ela. Disso ela não precisava e, com certeza, não queria. Frankie nunca passara uma noite olhando apaixonadamente para o celular na esperança de que tocass e nunca havia chorado um lenço sequer, quem dirá uma caixa.

Começo dizendo que eu adorei o primeiro livro da série da Sarah Morgan. Naquele livro, estava claro que Frankie Cole ia ser acompanhada por Matt Walker, o irmão da protagonista, e eu estava ansiosa para ler a história deles. Já esperava gostar muito, mas o que eu não esperava era como a autora entregaria de forma delicada e linda, a profundidade da amizade de Matt e Frankie. Eu também não previ as muitas facetas da personalidade de Frankie, ela é muito mais do que a cínica sobre o amor que eu havia antecipado. Realmente amei este livro, gostei de revisitar as três amigas, e aguardo com expectativa a terceira história.

Primeiro, um pequeno aviso: não tenho certeza se a abertura deste livro será tão significativa se você não tiver lido o primeiro. No início de Pôr do Sol no Central Park, somos levados a uma conversa entre Frankie, Paige e Eva, as três proprietárias do Gênio Urbano, um serviço de concierge pessoal e organização de eventos. 
Esta conversa - que ocorre sobre fones de ouvido durante uma crise em um chá de panela que as mulheres estão comandando - revela muito sobre elas. Paige, a protagonista do primeiro livro, é a organizadora e assume o comando, rearranjando as coisas corretamente quando a futura noiva é abandonada. Eva, a sonhadora de coração mole, que está devastada. E Frankie? Bem, ela é nossa cínica, aquela que não acredita no amor. O evento dá Frankie a chance de nos deixar saber como ela é cética sobre casamentos. Toda a cena de abertura é uma maravilhosa reunião com as três garotas.

Quando o trio chega em casa, em vez de se juntar às outras mulheres para beber no jardim do terraço, Frankie opta por ficar sozinha e ler um romance de terror (e eu amo uma heroína que lê!). Ela é interrompida pela primeira vez pelo gato resgatado, quase selvagem, de Matt, e logo então, Matt vem batendo na porta dela.
O livro anterior não revelou muito sobre o relacionamento de Frankie e Matt, além de deixar pistas de que Matt tinha sentimentos por Frankie. Mas no apartamento dela, descobrimos que os dois são muito bons amigos. Nessa e nas interações iniciais subsequentes, sua amizade ganha força. Nós os vemos falando sobre o trabalho, falando sobre livros, compartilhando uma refeição improvisada, falando sobre o cuidado e a alimentação do gato de Matt. Para Frankie, sua amizade com Matt é um dos relacionamentos mais importantes de sua vida, e o seu segredo, ela também acha que ele é sexy.


Vemos rapidamente a profundidade dos sentimentos de Matt por Frankie. Ele está esperando o momento certo para fazer a sua jogada. Mas quando ele pega Frankie sem seus óculos grossos e feios, e percebe que ela os usa como um escudo, ele decide que é hora de fazer algo sobre o relacionamento deles.

Ele não exitou em ajudar, pensou Frankie, engolindo seco. Matt não pensou em seu conforto ou conveniência. Não colocou os negócios em primeiro lugar ou tentou se proteger. (...) Aquele homem era um em um milhão.


Matt é dono de uma empresa de sucesso especializada em jardins de coberturas. Quando seu horticultor se demite no meio de um grande projeto, ele pede a Frankie que o ajude. O caso amoroso de Frankie com plantas começou quando ela era jovem e o jardim proporcionou uma fuga do tumulto da vida em família. No entanto, enquanto a oportunidade de ajudar Matt parece ser perfeita, ela inicialmente diz que não. Ela não pode imaginar estar perto dele o dia todo (exatamente o plano de Matt). Mas seu amor por trabalhar com plantas logo vence, e evitando envolver-se com todos os eventos relacionados á casamentos na agenda do Gênio Urbano, acha uma boa desculpa.

Matt é um mocinho maravilhoso: na verdade, ele é quase perfeito. Ele é inteligente, trabalhador, um irmão superprotetor, um bom amigo e empregador, e um amante romanticamente paciente de Frankie. E Frankie é muito mais do que eu pensava. Sim, ela definitivamente é cínica e cética sobre amor e casamento, como resultado de sua infância. Depois que seu pai abandonou a família, a mãe de Frankie começou uma série de casos notórios com praticamente qualquer homem que pudesse encontrar. Como viviam em uma pequena ilha, Frankie era manchada pela reputação de sua mãe, marcada como presa fácil pelos garotos do ensino médio. No começo, pensei que Frankie era apenas difícil, mas logo entendemos que ela sente demais, se preocupa demais com as pessoas. Sua atitude cínica - como seus óculos falsos - é um escudo protetor.


E não era apenas a conversa que a desestabilizava. Era a forma como ele olhava para ela, com aquele olhar lânguido e sensual, como se ela fosse a única pessoa naquela cobertura. A única pessoa em Nova York. No mundo.


Esta história foi tão viciante! Foi um belo conto de amizade com alguns momentos mais intensos. Sarah Morgan descreve os locais de Manhattan e seus arredores, incluindo a Ilha Puffin tão vividamente, que eu pude ver as cores do pôr-do-sol, sentir o cheiro do ar costeiro da Ilha e me sentir envolvida na atmosfera aconchegante das cabanas… A mistura do romance com momentos de desejo e calor no coração foi perfeita.

Quero muito saber agora como será a história de Eva, que é a manteiga derretida do trio. Acredito que teremos uma narrativa bem emocionante.

A edição da Harlequin segue a arte de capa do primeiro livro, e nesta edição veio um marcador lindinho em forma de prédio que eu amei.

                           
                                           

                                                                 

11 comentários:

  1. Eu ainda não li esse livro, mas está na minha lista de leituras. Espero conseguir ler em breve. Sua resenha me animou bastante para dar uma acelerada nas leituras atuais e pegar logo esse.
    Não sou a fã dos romances, mas gostei tanto de Amor em Manhattan, que preciso ler mais da autora.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá.

    Adorei muito sua resenha. O fato de iniciar este livro não ter uma certa necessidade de ler o primeiro, já me agrada. Porém, estou bem curiosa com a leitura de ambos. Sou fã de romances e tenho certeza que vou me apaixonar! <3

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  3. Oi Aline.

    Adorei sua resenha. Assim como o primeiro livro também tenho o segundo livro, mas ainda continua na meta de leitura. Vou mudar essa situação e lê-lo porque fiquei curiosa pela história e sua opinião está muito boa de apreciar. Obrigada pela dica.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Imagino que a história deve ser bem viciante mesmo, só pela premissa. Acho as capas maravilhosas e fico feliz em saber que você se envolveu com a narrativa. Espero conhecer em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Pela sua resenha a leitura te agradou mesmo. Ainda não li nenhum livro da autora e sua resenha me deixou curiosa para conhecer a escrita dela. Dica anotada.
    Abrçs

    ResponderExcluir
  6. Oi Sabrina, sua linda, tudo bem?
    Já conheço a escrita da autora e sou fã dela. Por isso estou louca para ler essa séria. A forma como eles se conheceram é super envolvente, não tem como não formar um laço. E os livros sobre amizade geralmente são os melhores. Louca para ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  7. Oiii, ver a sua resenha me fez lembrar o quanto quero ler esses livros. Acho que ela traz características que vou gostar muito e foi sua resenha que me fez ter essa certeza.

    Adorei!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi, li esse livro recentemente e quem mais me surpreendeu foi o Matt, ele é realmente praticamente perfeito! Gostei de conferir sua opinião, agora é aguardar ansiosamente a história da Eva.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Aline!
    Eu tenho o primeiro livro, mas ainda não terminei de ler. A leitura não fluiu como eu esperava, mas ainda pretendo continuar. Não sei se vou ler esse segundo, mas se gostar muito do primeiro vou dar uma chance a esse livro. Acho essas capas bem lindas!

    Beijos,

    Rafa - Fascinada por Histórias

    ResponderExcluir
  10. Que resenha mais fofinha! Eu morro de vontade de ler o primeiro livro justamente por culpa sua, me parece ser uma história ótima, recheada de muita risada e amorzinho demais ne? Entendo que a leitura do primeiro seja primordial, cê tem toda razão.

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Eu li o primeiro livro ano passado e amei demais! Agora não vejo a hora de ler esse segundo. Acho muito bonito a relação de amizade e cumplicidade entre as meninas; foi uma coisa que me cativou muito no anterior e estou ansiosa para ver sendo mais explorada nesse. Além disso, estou ansiosa para ver esse casal e entender melhor o jeito da Frankie.
    Adorei a resenha e espero conseguir ler esse livro em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir

TOPO