05 setembro 2018

Resenha: Bruto e Apaixonado (Irmãos Lancaster # 1) - Janice Diniz

em 05 setembro 2018

20 comentários

Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia.

Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e Apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.

Ficha Técnica Da Obra

Páginas: 256 | Ano: 2018 | Idioma: Português | Editora: Harlequin Boks Brasil | ISBN: 9788595082885 | Gênero: Ficção; Erótico; Romance; Nacional | Recebido em Parceria com Editora | Skoob

Compre: AMAZON  SUBMARINO AMERICANAS 

Mario Lancaster é o peão bruto de uma cidadezinha pacata do Mato Grosso do Sul. Amargurado por ter se machucado em uma tourada, ele passa seus dias encarando o touro que acabou com seus sonhos e o prendeu naquela cidadezinha sem graça. Mas seus dias ganham uma agitação indesejada quando a cidade entra em alvoroço com a venda da fábrica de parafusos que movimenta a economia local, ele por ser filho do antigo prefeito e advogado dos 'pobres' da cidade acaba sendo colocado no meio da bagunça para tentar ajudar a livrar a cidade desses forasteiros, mas ele não imaginava que a forasteira em questão fosse tão linda.

Natália Esteves é a filha do dono da TWA, uma empresa tubarão que compra outras empresas para ganhar sempre mais dinheiro, e a compra dessa vez vai virar seu mundo de pernas pro ar, já que ela terá que ir para uma cidadezinha com menos de 6 mil habitantes para demitir funcionários para reestruturar a empresa para venda. Mas ela não imaginava ser recebida de maneira tão hostil, e temendo pela sua segurança ela acaba se aproximando de Mario Lancaster, um peão bruto com muito conhecimento sobre a cidadezinha. Mas será que depois de passar uma semana naquele lugar ela não irá se apaixonar pelos encantos do interior?

"Sou um bruto das antigas e isso significa que, enquanto você estiver comigo, vou ser inteiramente seu como se fosse para sempre."

Bom, vamos lá a essa resenha logo, e desde já começo com aquela típica frase de: "Essa é uma resenha sincera e é somente a MINHA opinião, blá, blá, blá, não façam treta."

Bruto e Apaixonado foi um dos recentes lançamentos da Harlequin. Eu acabei solicitando o livro pois fazia eras que não lia nada de cowboy (8 segundos da Camila Moreira foi meu último do tipo) e estava com saudades do gênero. A Ana e outra amiga já tinham lido e tinham gostado da leitura, então me joguei, e infelizmente foi em uma piscina gelada, pois eu não gostei nada dessa leitura.

Vamos começar pelo que mais me incomodou: o esteriótipo de caipira. Eu moro no interior, minha família toda viveu em um interior mais interior que Varginha, tenho parentes e amigos que vivem em cidades assim ainda, mas nada, nada, nada me preparou para a chuva de esteriótipos forçados desse livro. Os próprios moradores dali se chamam de jacu (termo pra mim que é bem preconceituoso), são tachados de burros e ignorantes o tempo todo, são preconceituosos com forasteiros, não conseguem raciocinar além do seu umbigo. Eu achei extremamente forçada toda essa dinâmica, e como disse bem preconceituosa, pois passa uma imagem pra quem nunca esteve em uma cidade do interior que quem vive em um lugar assim são caipiras ignorantes que vão te bater logo que você chagar na cidade deles. WHAT?



Como a ambientação do livro é tudo e a trama é sob essa treta com os moradores, pra mim a história já morreu ai, pois por mais que eu quisesse me ligar à história do casal e todo o drama da mocinha em seguir as ordens de um pai cruel, eu não conseguia abstrair das barbáries que os moradores daquela cidade cometiam página sim, página não. Então toda a química, as cenas hot, as cenas engraçadas ficaram ofuscadas pra mim por esse detalhe.

Além de que todos os personagens são extremamente machistas, e nesse ponto eu até ""entendo"" já que estão em uma cidade do interior e tals, mas a mocinha critica o pai que tem essa personalidade e vai pra um boy que é tão machista quanto, eu realmente não entendi hahaha!

O que era pra ser uma leitura divertida e quente com um peão e uma mocinha da cidade grande como protagonistas, se tornou um revirar incessante de olhos, um livro que parecia ter único objetivo: mostrar como pessoas que moram no interior podem ser caipiras burros (ou melhor dizendo, jacus) ignorantes e brutos, que são capazes de fazer atrocidades com 'forasteiros'.

Infelizmente eu não pretendo fazer a leitura dos próximos livros, pois pelo capítulo onde tivemos o ponto de vista dos outros dois irmãos, penso que será a mesma linha de raciocínio, com mais sexo ainda, afinal os dois eram praticamente 'prostitutos' nos Estados Unidos.

Mas como sempre falo essa é minha opinião, o livro é bem avaliado no Skoob e vários leitores adoram a série, então só lendo mesmo pra saber se vocês irão gostar ou não dessa leitura.



20 comentários:

  1. Essa é a segunda resenha que leio sobre esse livro, na primeira eu fiquei com as anteninhas em pé porque dava a entender que o mocinho era machista, aqui eu tive certeza. Eu também ficaria fula da vida se lesse esse monte de barbaridades a respeito de uma realidade na qual fiz parte, definitivamente não tiro a sua razão. Essa é uma obra que não me interessei antes porque me pareceu meio futil, e agora posso fundamentar ainda mais, porque esse não é o tipo de coisa que quero ler, poxa, pra que reforçar eses esteriótipos? Obrigada pela resenha sincera.

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente não gosto de Hot. Acho extremamente estereotipado e nunca leio esse tipo de coisa. Acho muito desconfortavel, pelo menos pra mim, ler esse tipo de coisa.

    Sua resenha ficou ótima, gostei muito!
    Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Gente, não gosto de esterótipos tão fortes assim. Realmente passa a impressão errada. Nunca li nada com cowboys, e realmente queria muito ler algo do tipo, mas já vi que não vai ser esse livro. A premissa parece interessante, mas tudo o que você falou sobre a leitura me deixou com o pé atrás. Acho que eu não gostaria do livro e acabaria me frustrando no meio do caminho.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Parece que temos algumas polêmicas envolvidas no enredo desse livro. Além do machismo por parte de Mario Lancaster, temos a ganância e falta de compaixão por parte de Nathalia e sua família por deixar as pessoas desempregadas. Achei interessante você comparar o fato das pessoas rotularem os moradores do interior de caipiras e jacus, pois isso acontece na realidade e aborrece muito. Falo isso porque moro no interior também e quando vou para a capital percebo a visão que eles tem sobre isso. E em relação ao relacionamento dos protagonistas (Nathalia e Mario), fico imaginando o quão deve ser conturbada a relação dos dois na história, já que ele (Mario) é machista e isso sempre traz discórdia em uma relação amorosa e social. Parabéns pela resenha,li e gostei muito.

    ResponderExcluir
  6. Eu já tinha visto uma resenha desse livro, mas diferente da sua a que vi antes era positiva. Como não sou grande fã de romances eróticos não fiquei com muito interesse em ler, principalmente após sua resenha, tenho verdadeiro ranço por livros que tratam de forma tão descuidada de determinado assunto...

    ResponderExcluir
  7. Acho que só lendo mesmo para ter uma noção melhor do livro, como você disse tem gente que avalia positivamente, então acho que vai de cada um. Sobre o machismo e a ignorância que existem, isso realmente é algo ruim, acaba afastando o leitor, eu pelo menos não me interessei, apesar de gostar de histórias em ambiente nacional, uma pena que o livro seja assim. Não sou fã do gênero romance, e quando tem esses problemas, já me afasto ainda mais. Gostei da sua resenha e partilho da sua opinião se o livro realmente for assim, bjs !!

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Acredita que nunca li nenhum livro de cowboys até hoje? Adoron quando encontro uma resenha sincera, é aquela velha história... gosto é igual a c* cada um tem o seu e a sua opinião foi muito bem fundamentada. E acredito, que mesmo eu não sendo de uma cidade do interior, teria uma opinião E reação bem próxima a sua.

    Beijod

    ResponderExcluir
  9. Oi, Aline! Confesso que o livro já não tinha me despertado muito o interesse e depois dos pontos listados por você, com certeza ele não será uma opção para mim!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Aline

    Olha, também faz tempo que não leio nada sobre cowboys. Sei que sua opinião é somente sua e geralmente não levo uma resenha a ferro e fogo, mas nesse caso levarei, pois suas ressalvas certamente me incomodariam também. Esse estereótipo forçado, essa machismo... não, passo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, eu li esse livro recentemente e entendo seus pontos de vista. Moro numa cidade bem pequena, nem de longe tão rural quanto a onde a história é ambientada, mas aqui na minha cidade uma mina era parte importante da economia local e o desmonte dela também trouxe vários problemas, então acho que a autora não fugiu tanto assim da realidade de ALGUMAS cidades do interior. Quanto ao machismo, acho que o livro pode até trazer uma reflexão interessante sobre o tema, pois o Mário tem um discurso machista mas em vários momentos ele tem atitudes diferentes, como no desfecho, onde a gente vê ele dando espaço para a mocinha ter seu próprio lugar e seu próprio trabalho, coisa que alguém extremamente machista não faria, já o pai dela encobria mais esse machismo, demonstrado nas atitudes.

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Opiniões sinceras me conquista logo de cara ❤️ amei a sua sinceridade e concordo muito com você: o estereótipo que criam para personagens “do campo” acaba deixando a leitura um pouco cansativa e sem graça quando não bem narrada. Te entendo perfeitamente. Já tive experiência de leitura assim :/ de qualquer forma, não tinha tanta vontade de ler o livro e agora menos ainda rs

    Beijos,
    www.psamoleitura.com

    ResponderExcluir
  13. Oii, tudo bem?

    Essa é a segunda resenha que eu leio sobre esse livro, mas na primeira ele parecia incrível, coloquei até na minha lista de desejados. Pelo visto eu vou ter que tirar, não me dou muito bem com esses livros cheios de estereótipos.

    Não saberia lidar com todo o machismo na trama. A mocinha não aceitar esse comportamento do pai mas aceitar do boy iria ser um ponto extremamente negativo na história para mim. Já tive experiência com esse tipo de leitura, geralmente são bem romantizadas, eu fico muito inconformada com isso, acabo abandonando o livro.

    Amei sua resenha, adoro uma opinião sincera.
    Anotado, vou passar longe desse livro.
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bom?
    Assim como você, ODEIO estes esteriótipos! Eu também moro no interior e quando vejo livros assim, me dá uma agonia justamente porque soa muito forçado e longe da realidade. Isso e o fato de a mocinha criticar um pai machista e se aproximar de um boy tão machista quanto só fez com que tivesse ainda menos vontade de ler este livro.
    Amei a resenha e a sinceridade!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. oi tudo bem? pena que a leitura não te agradou e provavelmente eu acabaria tendo a mesma opinião que vc :/ Eu gosto bastante da temática e recomendo os livros doa Linda Lael Miller, tb são da Harlequin, mas no formato banca, infelizmente são um pouo dificeis de achar ultimamente
    bjos

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Eu li uma outra resenha recentemente que foi totalmente a favor desse livro. Bom saber que não devo ter expectativas. Acho que também ia odiar essas mesmas características que vc citou. Uma pena...
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  17. Ai, vem me abraçar porque eu também n]ao consegui gostar do livro. Sobre o esteriótipo de caipira, eu também achei caricato, mas as cenas iniciais do machismo do protagonista me deixaram muito desanimada e não consegui gostar dele e não torci para que ele se acertasse com a mocinha porque passei o livor todo imaginando que ela merecia alguém melhor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá!!!
    Uma pena mesmo o livro fazer um estereótipo do povo do interior já que é algo ruim para quem vive no mesmo. Eu sou de uma cidade do interior do CE, então acho que isso me incomodaria bastante.
    Ultimamente ando meio que numa vibe mais clichê e por mais que o livro tenha agradado há muitos não colocaria na minha estante, pois além dessa parte estereotipada dos personagens estou assim com os livros HOTs no momento rsrsrs
    Uma pena de fato que o livro não lhe agradou, mas é super compreensível depois de ver esse lado negativo do mesmo :\

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oii, tudo bem?
    Eu fiquei um tempo afastada do mundo dos livros (triste fato), então ainda não conhecia esse lançamento, mas devo dizer que ele não me chamou a atenção. Eu amo historias de cowboys, quando bem escritas é claro, mas de acordo com a sua resenha, claramente a autora forçou muito nesse livro e trouxe personagens masculinos bem machistas. Então não acho que seja um livro que eu gostaria de ler.

    ResponderExcluir

TOPO