24 agosto 2018

Resenha: Quatro vidas de um cachorro – W. Bruce Cameron

em 24 agosto 2018

16 comentários

Esta é a inesquecível história de um cão que - após renascer várias vezes - imagina que haja uma razão para seu retorno, um propósito a cumprir, e que, enquanto não o alcançar, continuará renascendo. Narrado pelo próprio animal, Quatro vidas de um cachorro aborda a questão mais básica da vida: Por que estamos aqui? Emocionante e com boas doses de humor, Quatro vidas de um cachorro é um livro para todas as idades, que mostra o olhar de um cão sobre o relacionamento entre as pessoas e os laços eternos entre os seres humanos e seus animais.



Ficha Técnica Da Obra

Páginas: 288 | Ano: 2016 | Idioma: Português | Editora: HarperCollins Brasil | ISBN: 9788569514718 | Gênero: Ficção / Romance | Recebido em Parceria com Editora | Skoob


"Ele me deu um abraço comprido e amoroso. Entrefechei os olhos – não havia no mundo nenhuma sensação melhor do que ser abraçado pelo meu menino."

Em Quatro vidas de um cachorro, somos apresentados a um cão que, por algum motivo, têm a oportunidade de viver várias vidas, conservando a memória de suas vidas passadas. A primeira lembrança do cão vem logo após seu nascimento, quando ele descobre que as coisas quentes e fedorentas se contorcendo ao lado dele são sua irmã e dois irmãos, e "a grande e bela forma com a língua maravilhosa e longa era minha mãe". Eles vivem uma vida selvagem, passando a maior parte do tempo escondidos e procurando comida. Um dia eles são pegos por homens que os levam para um complexo, de propriedade de Missus, cheio de outros cães. Ele é chamado Toby e ama seu novo mundo com companheiros de brincadeiras, brinquedos e boa comida. Mas um dia todos os cães são levados pelas autoridades para um abrigo, onde Toby é colocado para dormir. Enquanto ele mergulhava no sono, "a tristeza que eu sentira em Missus se apossou de mim, e eu quis dar um jeito de chegar até ela e lamber a palma da sua mão, devolvendo-lhe a felicidade. De todas as coisas que eu já fiz na vida, provocar seu riso me pareceu o mais importante, a única coisa, concluí que dava sentido a minha vida. “

Eu gostei da visão refrescante e única do mundo que o cão forneceu. É a mesma inocência encantadora que a visão de mundo de uma criança lhe dará. A perspectiva do cachorro muitas vezes me fascinou. Como ele foi descobrindo as coisas, descobrindo como os humanos podiam ser terríveis, mas também como eram amorosos e capazes de proporcionar tanta felicidade. Quem é amante dos animais assim como eu, vai ter um pouco de dificuldade em algumas partes. Durante a leitura eu parei em alguns momentos, refletindo sobre como os animais são seres superiores e infinitamente melhores que nós. Em alguns momentos eu chorei. Mas não tenham medo dessa leitura, porque o amor que ela nos mostra é maravilhoso.

A reencarnação foi uma reviravolta na típica história do cão. Por causa disso, o cão vive várias vidas que envolvem ser um vadio, ser negligenciado, ser amado, viver na libra e ser um cão de trabalho. Basicamente ele vive todo tipo de vida que um cachorro poderia ter. Sem ser preguiçoso, mostra efetivamente o que a negligência pode realmente fazer com um cachorro inocente.

"Fiquei atônito diante dessa falsa acusação. Malvado? Eu havia sido acidentalmente trancado na garagem, mas estava mais que disposto a desculpar todos eles. Por que me repreendiam assim, balançando o dedo na minha cara?"

Eu costumo ficar longe de livros de cachorro porque eu sei como vai acabar. Nós todos sabemos como uma história de cachorro termina. Mas Quatro vidas de um cachorro foi diferente. Eu achei o final edificante e satisfatório. O cachorro não morre! Graças a Deus! Sim, tipo, ele não morre NO final. O cachorro realmente morre muito durante o livro por causa da coisa da reencarnação, e nessas vezes a gente já sofre o suficiente! Eu amei! Bruce Cameron escreveu um livro incrível. Ao escrever sobre animais, há muito potencial para a fragilidade e o sentimentalismo, que ele evita com agilidade; em vez disso, este livro é imbuído de sagacidade, dignidade, tristeza e amor. Cameron nos faz sentir a magia do vínculo humano-cão. Se o propósito de um cão é amar os humanos e ensiná-los a amar incondicionalmente; se o amor é um verbo, então Toby, Bailey, Ellie e Buddy são verdadeiramente cães-guia em ação.

"Todo cachorro existe por uma razão."

A edição da HarperCollins é linda, um livro grande, de folhas amareladas e diagramação simples e não encontrei erros de revisão. A capa é linda, com a carinha de um labrador te olhando e seduzindo. É um livro para guardar do lado esquerdo do peito.

Recentemente, houve a adaptação do livro para o cinema. Teve uma polêmica por um vídeo correndo pelas redes, que acusavam os produtores de maus tratos, em que eles empurravam um cão na água, mesmo o cão aparentando estar assustado. Eu tinha ficado muito animada ao ver o trailer, e quando essa confusão aconteceu, eu perdi um pouco da vontade. Eles justificaram dizendo que todos aos animais foram bem cuidados e não houve abuso.

Enfim, assisti depois, e mesmo gostando da adaptação, consegui perceber um pouco de medo no cão na já mencionada cena, e fiquei triste. Mas recomendo, é um filme bom.

Trailer do filme:

16 comentários:

  1. Olá!
    Acho o tema muito interessante, principalmente por questionar nossa importante e nossos caminhos na vida, a reencarnação. Mas só de pensar em leituras com bichinhos já me parte o coração, então por mais que tenha amado a premissa sei que não seria uma leitura que faria.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. GLORIA A DEUS FIQUEI FELIZ DE SABER UM SPOILER. ja tinha visto o filme mas ainda tenho o livro pra ler
    e confesso que fiquei mais feliz desaber que não morre no final
    marley & e eu que sabe quanto eu chorei, meu Deus!!!

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  3. Oi Aline, tudo bem?

    Também sempre fico receosa de ler livros com animais, pois na maioria das vezes acabo sofrendo e chorando muito com o final, que muitas vezes é trágico. Adorei saber que neste livro o cachorro não morre, isso me deixa mais animada para realizar a leitura. Também vi a polêmica em relação ao filme. Mas, quero muito ler e assistir a adaptação. Amei a resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Eu desisti totalmente do filme quando vi esse video, me tocou demais e eu fiquei morrendo de pena do cãozinho, mas abri sua resenha e dei de cara com essa foto fofa, acabei conquistada de novo haha o ponto de vista dos animais sempre me chamou a atenção porque sempre é um olhar bem doce e ingenuo.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Eu não tenho coragem de ler esses livros não e por mais que eu tenha curiosidade ele não me chama atenção eu passo a dica

    ResponderExcluir
  6. Tenho medo de ler livros que tenham animais na trama, mesmo sabendo que ele não morre,fico preocupado de saber se ele irá passar por mau bocados, se será maltratado ou afins. Tipo Marley e eu e aquele outro livro que o filme tem o Richard Gere, nunca irei ler ou assistir, pois irei ficar mal por um bom tempo e até posso cair em uma ressaca literária. Mas para quem gosta é um prato cheio e irei indicar a obra, caso alguém peça.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu não li o livro mas assisti o filme.
    E mesmo não curtindo muito enrendos com animais como personagens, achei algumas partes bem comoventes.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Muito legal conhecer um pouco da história desse livro. Desde de Marley e eu que chorei litros evito livros com bichinhos, mas amei as reflexões apontadas nesse. Valeu pela dica e parabéns pela leitura.
    Eu estou querendo ver o filme, que babado essa da gravação, eu não sabia.

    ResponderExcluir
  9. Se sua resenha me conquistou? INFINITAMENTE!
    Gente, adoro narrativas assim, com cachorrinhos e a chance de viver novas vidas deve ser muito legal! Posso te recomendar uma leitura? Leia "aos olhos de Zoe" de uma escritora brasileira. É narrado na visão da cachorrinha. Você não vai se arrepender!

    Beijos,
    www.psamoleitura.com

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Ahhh sou doida para ler esse livro, acredira que não assisti ao filme só pra não chorar, ando evitando rsrs... Mas adoro esses romances com animais são tão fofos e são histórias reflexivas.

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    Realmente, ler um livro sobre cachorro que ele morre no final é para ficar depressivo. Ainda bem que isso não acontece nesse título, já vou mais animada para ler essa história. E como sou apaixonada por cachorros, vou achar refrescante ler uma trama pelo ponto de vista dos nossos amados caninos!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  12. Olá Aline.

    Lendo a sua resenha eu percebi que não sou de ler livros dessa maneira e preciso mudar isso porque eu adoro cachorros. Tenho uma sapeca aqui em casa de 4 meses e mudou a rotina da casa completamente. E gostei demais da sua opinião e com certeza vou adicionar na minha lista de desejados. Parabéns pela resenha, despertou meu interesse.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Ola!

    Nossa, que resenha linda!!! Esse livro deve ser realmente incrivel e unico, mas, infelizmente sou como vc, não consigo ler absolutamente nada sobre animais e esse livro eu certamente passo longe. Não falo isso por nao amar animais, mas pelo contrario... odeio ver os bichinhos sofrendo independente de qualquer situação. Pra vc ter ideia, comecei assistir ao filme e em 4 minutos eu ja estava chorando de soluçar, acredita?

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu adorei a resenha. Já sabia do filme, por causa da polêmica, mas não sabia que tinha um livro também. Achei a trama muito interessante e deve ser muito bonito acompanhar a visão inocente de um cachorro, ainda mais nessa situação em que ele passa por várias vidas. Eu confesso que não é o tipo de livro que procuro no momento, especialmente porque sempre sofro com livros envolvendo cachorros. Porém, adorei sua resenha e vou anotar a dica para ler futuramente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Não sabia que o filme era uma adaptação! Gostei de saber que, apesar de o cachorro morrer várias vezes durante o livro, ele não morre "definitivamente" no final! rsrs
    Também sofro com livros de bichinhos por conta disso.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  16. Olá Aline!!!
    Desde a perda do meu pequeno eu não consigo ler nada com cachorros, apesar de querer muito ler esse livro quando penso nele me dar uma tristeza na minha alma.
    Eu sofri muito com a perda do meu filhote e não consigo nem reler meu exemplar de Marley, e fico pensando se isso aconteceria com esse livro.
    Mulher fui ver o trailer e tava chorando no trailer, imagina eu assistindo e lendo!?
    Adorei a resenha e quem sabe eu dê uma chance um dia ao livro ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

TOPO