06 agosto 2018

Resenha: Canção de Ninar – Leïla Slimani

em 06 agosto 2018

20 comentários

Quem cuida dos seus filhos quando você não está olhando? Apesar da relutância do marido, Myriam, mãe de duas crianças pequenas, decide voltar a trabalhar em um escritório de advocacia. O casal inicia uma seleção rigorosa em busca da babá perfeita e fica encantado ao encontrar Louise: discreta, educada e dedicada, ela se dá bem com as crianças, mantém a casa sempre limpa e não reclama quando precisa ficar até tarde. Aos poucos, no entanto, a relação de dependência mútua entre a família e Louise dá origem a pequenas frustrações – até o dia em que ocorre uma tragédia. Com uma tensão crescente construída desde as primeiras linhas, Canção de Ninar trata de questões que revelam a essência de nossos tempos, abordando as relações de poder, os preconceitos entre classes e culturas, o papel da mulher na sociedade e as cobranças envolvendo a maternidade. Publicado em mais de 30 países e com mais de 600 mil exemplares vendidos na França, Canção de Ninar fez de Leïla Slimani a primeira autora de origem marroquina a vencer o Goncourt, o mais prestigioso prêmio literário francês.

Ficha Técnica Da Obra

Páginas: 192 | Ano: 2018 | Idioma: Português | Editora: TusQuets Editores | ISBN: 9788542212037 | Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Suspense e Mistério| Recebido em Parceria com Editora | Skoob


"O bebê está morto. Bastaram alguns segundos. O médico assegurou que ele não tinha sofrido. Estenderam-no em uma capa cinza e fecharam o zíper sobre o corpo desarticulado que boiava em meio aos brinquedos. A menina, por sua vez, ainda estava viva quando o socorro chegou. Resistiu como uma fera (..) Adam está morto. Mila não vai resistir."
Eu esperei para ler este livro durante muito tempo. Desde a notícia de seu lançamento, em um evento da Editora Planeta, eu me apaixonei pela capa, pela sinopse, pela autora e pelo o que ela prometia nessa história. Evitei spoilers feito louca, me desviando de resenhas e fotos, feito o Neo do Matrix, desviando das balas.

Mas agora que li, estou com uma sensação terrível de não saber se deveria ter lido ou não, porque desejei tanto essa trama, que fui com sede demais ao pote, muita sede.

Canção de Ninar é um thriller psicológico que te faz arregalar os olhos logo na primeira página. Temos a descrição do crime, dois assassinatos odiosos, cruéis demais para serem ao menos imaginados. Isso não é um spolier, pois está escrito na orelha da capa. Duas crianças estão mortas. Dois anjos ceifados de uma maneira louca e doente. Como alguém teria coragem de matar dois bebês daquela maneira? Por que, ainda que a gente saiba que não existiria nenhum motivo no universo, por que motivo, o que levou àquilo? São com essas perguntas que viramos as páginas deste pequeno livro freneticamente, esperando encontrar respostas e poder soltar o fôlego preso desde o início da leitura.

"Paul e Myriam são seduzidos por Louise, por seus traços lisos, seu sorriso franco, seus lábios que não tremem. Ela parece imperturbável. Seu rosto é como um mar calmo, de cujos abismos ninguém poderia suspeitar."
Este livro é sobre um casal de classe média que vive um momento contraditório. Myriam havia escolhido a maternidade anos antes, quando sua primeira filha, Mila, nasceu. Deixou de lado a carreira de advogada, focando somente na criação esmerada da menina. Seu marido Paul, um produtor musical, se esforçava e fazia o que podia para trazer para a casa o sustento de sua pequena família. Tudo ia bem, e eles engravidaram pela segunda vez. As coisas ficaram mais bagunçadas, com duas crianças em casa, Myriam se sentia sobrecarregada, cansada e irritada o tempo todo. Se perguntava se a maternidade seria daquele jeito para sempre, se viveria nas sombras dos filhos. Até encontrar um antigo colega de faculdade que a chama para trabalhar em seu escritório. E é aqui que entra a babá. No começo, Louise se mostrou perfeitamente profissional, sempre proativa e entregue as crianças. Porém, com as atividades corridas do escritório de Myriam, e Paul cada vez mais tendo sucesso em seu trabalho, Louise ganha cada vez mais espaço e poder na casa. Mas eles não podem reclamar. A babá cuida de tudo, limpa, cozinha maravilhosamente, e o melhor, as crianças crescem bonitas, saudáveis e muito educadas, a vista de quem quiser. Eles confiam em Louise, eles sabem que suas crianças estão seguras e amadas ao lado da pequena babá.

"Eles têm a sensação de terem encontrado uma pérola rara, de terem sido abençoados. (..) E Louise começou a passar a noite lá, uma ou duas vezes por semana. Isso nunca foi abertamente dito, nunca conversaram sobre isso, mas Louise construiu pacientemente seu ninho no meio do apartamento."
O livro narrado em terceira pessoa, vem com pontos de vistas de vários personagens ao longo da história, abordando muito os sentimentos a as intimidades de cada um, girando em torno das relações entre si e de como essas relações vão evoluindo no convívio.

Sabemos que aconteceu um crime logo no começo, e devoramos as páginas para entender por que. A autora teve maestria em escrever uma história rápida e extremamente fluida, você começa lendo querendo saber sobre os assassinatos, mas se pega conhecendo cada personagem, um pouco da vida e da história de cada um. Todos estão cansados de saber que eu amo esse tipo de livro, suspense, thriller, bem elaborados me deixam maluca.

A autora soube inserir neste livro questões importantes, como a maneira que delegamos os filhos ao cuidado de estranhos que não sabemos de onde vieram, como o dilema de escolher entre seguir uma carreira, vencer profissionalmente ou cuidar dos filhos, vê-los crescer amados e protegidos sobre as asas da mãe. O preconceito com as mulheres que saem de suas casas, que deixam seus filhos abandonados à própria sorte, para cuidarem e amarem os filhos de outras.

"Como Louise ficou com um ar sombrio quando Myriam anunciou que eles iriam para a montanha por uma semana, para a casa dos pais de Paul! Myriam se lembra disso e sente arrepios. O olhar negro de Louise estava tomado por uma tempestade. Naquela noite, a babá foi embora sem se despedir das crianças. Como um fantasma, monstruosamente discreta, fechou a porta. (..)"
Da metade para o final, temos uma narrativa rápida e envolvente, vão chegando novos elementos que vão se encaixando com peças postas no começo, que clareiam as coisas. Eu devorei as páginas em busca da resposta. A proposta deste livro é diferente, nos deixa questionar até que ponto dependemos de desconhecidos. Em vários ambientes e necessidades.

Eu gostei muito do ar de suspense contido em cada página, gostei de como a história foi boa até quase o final, porque olhem, recebi este livro numa sexta, e no domingo antes das 15 esta resenha já estava pronta. Porém o final... Ah, não sei no que a autora estava pensando com um final tão, tão, insuportável! Porque o livro inteiro foi maravilhoso, como eu disse, você come as palavras incansavelmente, mas quando chega no fim, eu não sei dizer por que raios esse final ficou tão horrivelmente em aberto! Você fica encarando a última página do livro, porque sim, o desfecho ocorre na última página, sem saber se a história acabou ou se é um maldito gancho para uma possível continuação! Por isso, não sei se fui com sede demais ao pote, porque estava na expectativa de ler há tanto tempo.

Recomendo sim a leitura, porque foi uma história bem escrita, com personagens muito complexos, porém muito bem desenvolvidos, mas recomendo cautela porque, na minha opinião, o final foi bem desanimador.
"Claro, bastava acabar com isso, pôr um fim em tudo, Mas Louise tem a chave da casa deles, sabe de tudo, se incrustou em suas vidas tão profundamente, que parece agora impossível de despejar. Eles a afastarão, e ela voltará. Vão se despedir e ela vai se jogar contra a porta, eventualmente vai entrar, será ameaçadora, como um amante ferido."

A edição deste selo editorial da Planeta é simples, porém a beleza da capa é notável, é uma brochura simples, mas as folhas amareladas, a fonte em tamanho grande e o bom espaçamento deixa a leitura muito confortável. Não encontrei erros de revisão.


20 comentários:

  1. Há alguns meses atrás vi uma vídeo-resenha sobre esse livro, mas, sinceramente, nem de longe ela me deixou interessada nesse livro como a sua! Você mostrou muito bem o panorama geral da história. Uma pena o final ser decepcionante. =(
    Mesmo assim estou com vontade de ler!

    ResponderExcluir
  2. Eu estou estudando Psicologia então nem preciso dizer que fiquei super interessado por esse livro, acredito que a babá tenha algo a ver com o assassinato e já estou me preparando para aceitar o final inaceitável kkkk
    Ótima sugestão!
    Abraços! ��

    ResponderExcluir
  3. Sempre que olho a capa desse livro eu lembro de ALias Grace e nem sei pq, pois não tem nada a ver com a história hahaha
    Eu ainda não dei uma chance pra essa leitura, mas queria dizer que odeio essa sensação de final mal feito =S

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  4. Esse livro me lembrou um pouco do filme "A mão que balança o berço", deve ser muito suspense. Fiquei interessado com essa leitura.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu tinha visto esse livro e fiquei muito curiosa em ler, tanto que coloquei em minha lista de futuras leituras, mesmo lendo tão poucos suspenses. Achei a premissa muito triste, com as duas crianças mortas. Mesmo parecendo ser de fato um livro bem elaborado, é tão complicado chegar ao final e não ser tudo aquilo que esperamos.
    Vou anotar a sua dica!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline, tudo bem?

    Já tinha visto a capa desse livro, mas não sabia que se tratava de um thriller. Deve ser muito desanimador você ficar tão vidrado no livro, imaginar mil possíveis finais para o enredo e ter um final tão aquém do esperado. Creio que eu ficaria com a mesam sensação que você e acabaria me decepcionando. Mesmo assim, ficou bem curiosa para ler, por tudo que você narrou e as sensações que ele permite no decorrer. Dica anotada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Normalmente quando vouo com muita sede em um livro eu acabo me frustrando, então entendo essa sua sensação. Fiquei muito curiosa para descobrir mais sobre esse crime, principalmente sua motivação, então é uma pena das grandes o desfecho ter ficado em aberto, nestes casos torço para uma continuação, ms ainda sim quero ler.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ah será que não encontro em e-book?
    Adoro um suspense psicológico e imagina esse com criança. Adorei o enredo e parabéns pela resenha. Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?

    Assim que lançou "Canção de Ninar" eu solicitei para a Planeta de Livros e a Joanice uma colaboradora nossa que resenhou, ela curtiu bastante. Eu (Yvens) curto muito suspense e principalmente psicológico, ainda pretendo ler esse livro. Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Pela capa nunca imaginei que seria esse tipo de historia. Eu adoro suspense e thriller, então já fiquei bem empolgada por essa leitura, ainda mais depois da sua resenha. Pretendo ler o quanto antes essa obra!
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Heiii, tudo bem?
    Desde o lançamento de CANÇÃO DE NINAR que eu quero ler, ainda mais sendo um thriler psicológico que sempre mexe comigo.
    Quando vi a capa achei que era um livro antigo, ele tem um jeitinho mais retro e adorei, pq se destaca aos demais e já chama atenção começando pela capa.
    Eu ainda nao li e to igual a vc no inicio, ansiosa e curiosa e cheia de expectativas com a leitura.
    Bom saber a sua opiniao, vou ler com certeza.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    É a primeira resenha que leio, e achei a historia bem interessante. Mesmo com esse detalhe do final que ficou na dúvida se haverá uma continuação, me deixou ainda mais curiosa para conferir.
    Uma ótima dica!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  13. Oi!

    Eu preciso muito ler mais thrillers, mas como não é algo que eu gosto muito, sempre acabo deixando várias dicas legais para trás. Eu adorei a premissa desse e acho importante ponto de vista de vários personagens, da uma dimensão maior sobre a história. E sobre o final: não sei o que dizer haha odeio essa ambiguidade, mas ao mesmo tempo é muito legal haha. Enfim, anotei a dica. Espero FINALMENTE ler um thriler esse ano!

    beijos!

    ResponderExcluir
  14. Ola!

    Minha nossa que livro é esse que eu não conhecia, mas ja quero tanto?
    Sou apaixonada por thrillers e essa historia me conquistou desde a palavra assassinato na primeira pagina. Aguçou a minha curiosidade e agora preciso dessa historia haha

    beijos

    ResponderExcluir
  15. Oie amore,

    Que blog mais amor!
    Adorei o título e a capa do livro... parece ser bem interessante!
    Mais não tô num momento pra ler thriler psicológico entende.
    Ai pra ser sincera mudei de opinião dez mil vezes ao ler sua resenha... ao mesmo tempo que não quero ler por não achar ser o momento, fiquei bem curiosa seja pelo fato da questão de as pessoas deixarem os filhos com pessoas "estranhas".
    Ou até mesmo a questão do suspense que muito me atrai.
    Enfim, vou anotar a dica e quando for a hora de ler, irei ler.
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Uma capa simples para uma história destruidora!
    Ainda não conhecia a obra e estou completamente envolvida pelo seu ponto de vista da história. Apesar do final doril, a curiosidade é maior ara saber todos os fatos.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  17. Eu ainda não sei se eu teria estomago para essa leitura porque sou muito sensível à violência com crianças, mas pelo desenvolvimento da história, acho que seria uma trama que me pegaria bem.
    Valeu pela dica
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem? Confesso que por não me interessar muito por thrillers psicológicos, nunca notei tanto esse livro, mas vi diversas resenhas. Realmente alguns citaram alguns pontos de problemas, e como posso perceber no seu caso é o final. Acredito que até seja frustante né?! Sua resenha está maravilhosa e cita pontos positivos e negativos. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Vi esse livro há um tempo e assim que li a sinopse me interessei. Achei que seria uma história envolvente, como você disse é, o que me deixou curioso para conhecer o enredo e achei uma pena o final ter sido tão insatisfatório assim. Gosto de personagens complexos e que nos fazem pensar, espero ter a chance de ler essa obra. Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  20. Quando vi o título, nao imaginei que fosse um Thriller tão forte assim, imaginei que fosse um romance. Mas lendo tua resenha fiquei bem curioso para saber como livro mese com o leitor desses personagens tao profundos pelo que vi na tua crítica. Nao conhecia ainda mas vou buscar saber mais.Parabens pela critica.

    ResponderExcluir

TOPO