Resenha: O Jardim das Borboletas (The Collector # 1) Dot Hutchison

13 comentários

Quando a beleza das borboletas encontra os horrores de uma mente doentia. Um thriller arrebatador, fenômeno no mundo inteiro. Perto de uma mansão isolada, existia um maravilhoso jardim. Nele, cresciam flores exuberantes, árvores frondosas... e uma coleção de preciosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. Cada uma delas passa a ser identificada pelo nome de uma espécie de borboleta, tendo, então, a pele marcada com um complexo desenho correspondente. Quando o jardim é finalmente descoberto, uma das sobreviventes é levada às autoridades, a fim de prestar seu depoimento. A tarefa de juntar as peças desse complexo quebra-cabeça cabe aos agentes do FBI Victor Hanoverian e Brandon Eddinson, nesse que se tornará o mais chocante e perturbador caso de suas vidas. Mas Maya, a enigmática garota responsável por contar essa história, não parece disposta a esclarecer todos os sórdidos detalhes de sua experiência. Em meio a velhos ressentimentos, novos traumas e o terrível relato sobre um homem obcecado pela beleza, os agentes ficam com a sensação de que ela esconde algum grande segredo.



*Livro recebido em parceria com a editora*

"Ali, além da beleza, desespero e medo eram tão comuns quanto respirar."

Eu acabei essa leitura agora pouco, e francamente estou dolorida por dentro, meu coração está apertado e meus olhos cheio de lágrimas porque essa foi uma leitura que me marcou tanto, que com certeza entrou para os meus livros favoritos da vida, naquela sessão onde eu guardo os que são reais demais, os que me marcam demais, os que abrem meus olhos para a monstruosidade que é o nosso mundo, para a loucura que é a realidade. 

O Jardim das Borboletas é um livro que abre os olhos do leitor, através da narrativa de uma das sobreviventes daquele cativeiro vamos conhecendo a história daquele lugar, de como garotas sempre eram trazidas, mortas, conservadas, enterradas, mas nunca esquecidas... Vamos conhecendo através dos olhos de uma garota que sofreu abusos, estupros, foi marcada igual gado, uma história dolorosa, ficcional, mas que ao mesmo tempo tem uma áurea muito real, pois quantas garotas não são sequestradas no nosso mundo para satisfazer desejos de homens bizarros que acreditam que estão as amando, que estão as protegendo do mundo exterior. 

Apesar de tudo, essa não é uma leitura forte, não é um livro que você demora dias pra ler porque não consegue suportar a história, a narrativa de Dot Hutchison prende o leitor, mesmo o livro não sendo dividido em capítulos, de modo que você assim como aqueles detetives quer entender como O Jardim das Borboletas funciona, quer saber como elas escaparam e assim você é embalado pelas histórias de Maya que mesmo não sendo direta consegue dar todas as informações que precisamos, sem entrar em detalhes sórdidos porque ninguém aqui precisa saber como é um estupro não é mesmo? Só o fato de saber que ele ocorria já é o bastante para chorar, para fazer o leitor ficar com o coração apertado.

"Coisas bonitas tem vida curta, ele havia me falado na primeira vez que nos encontramos."

A narrativa desse livro encanta, porque é realmente Maya contando sua história para o leitor, para o FBI e através de suas lembranças e de trechos de seu interrogatório vamos vendo o quanto ela é uma personagem forte, que sofreu desde pequena coisas que nenhuma criança merece sofrer, e que sempre deu a volta por cima, aprendeu a ser mais forte, a se proteger, a analisar as pessoas, a sobreviver sem se quebrar.

As cenas do Jardim são as mais fortes, pois vemos a chegada de novas garotas, o quanto elas sofrem sendo tatuadas nas costas, os castigos só por deixarem o cabelo escondendo a tatuagem ou ao dizer algo que desagrade o Jardineiro, vemos a união daquelas meninas, como cada uma enfrenta aquela realidade da sua maneira, e como algumas se quebram antes mesmo de conseguir assimilar o que está acontecendo. É cruel observar o Jardim, é tenso ver como elas tem que se submeter aos desejos desses homens loucos, que se escondem atrás do dinheiro e da filantropia, como se escondem atras de nomes importantes e dão desculpas nojentas para os abusos que cometem com aquelas garotas.

"Algumas pessoas desabam e nunca mais levantam. Outras recolhem os próprios cacos e os colam com as partes afiadas viradas para fora."

Com certeza O Jardim das Borboletas entrou para meus favoritos do ano, foi uma leitura que mesmo não sendo extremamente pesada foi me deixando engasgada o livro inteiro, cada cena, cada novo relato de Maya me deixava aflita, angustiada, e no final quando todos os pontos são ligados eu não nego que rompi em lágrimas, pois quando se imagina a situação do livro no mundo real, quando se imagina os traumas que essas garotas vão levara para a vida toda, é pesado demais, é angustiante, é insuportável pensar nisso, dói verdadeiramente na nossa alma.

A edição da Planeta de Livros ficou maravilhosa, com uma capa dura mantendo a arte original da capa temos uma edição no nível da história, bonita, mas com sua beleza questionável. O livro é dividido em partes por uma Borboleta que ocupa das duas páginas da história, e que deu todo um toque a mais na beleza desse livro. As folhas são amareladas, um bom tamanho de fonte e apesar de o livro não ter capítulos, as histórias são separadas por mini borboletas ao final daquela cena. E vale lembrar também que apesar de ser uma trilogia, O Jardim das Borboletas pode ser lido com livro único, pois tem um final, os próximos livros são de histórias conectadas ao Jardineiro, porém são completamente independentes também, e ainda não há previsão de serem publicadas pela editora.

Através de uma narrativa extremamente fluida vamos ver o quando a beleza é algo questionável, o quanto a loucura de uma pessoa pode acabar com a vida de várias outras dia a dia, e que o fato de permanecer vivo no final desse trajeto não é nada além de vago, pois as pessoas que passam por traumas assim nunca mais são as mesmas. O Jardim das Borboletas é um livro que vai abrir os olhos do leitor, vai te fazer pensar em o quanto essa história é real e que se não há uma pontada de sorte, infelizmente isso pode acontecer por anos sem que ninguém fique sabendo, sem que ninguém ajude garotas iguais as Borboletas dessa história. Não é uma leitura fácil, porém é mais do que necessária, e que quando você chegar ao final vai estar chorando, porque é a única coisa que você vai conseguir fazer depois de tamanha carga emocional ter sido absorvida através dessas páginas.


"Eu pensava em como era injusto ele ter nos feito borboletas, entre todas as coisas.
Borboletas de verdade poderiam voar, escapar.
As Borboletas do Jardineiro só podiam cair, e ainda assim raramente."

13 comentários

  1. Fiquei apaixonada pela arte gráfica porque eu amo borboletas, mas aclaro, você citar que foi o livro favorito do ano, é que mais me instiga a ler. Entendo esse "engasgamento" durante a leitura e quero passar pela mesma coisa quando estiver lendo.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adoro a temática deste livro e quero muito ler. Em toda resenha que leio fico mega curiosa para saber quem realmente é essa tal Maya, fico aflita só pela dúvida. Adorei os quotes destacados, preciso de uma promoção deste livro.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Menina a minha colaboradora solicitou esse livro e depois da sua resenha fiquei meio arrependida de não ter solicitado, haha. Quero ler, sem dúvida!

    Mesmo sendo uma resenha que aborda assuntos tão sérios e tristes, também parece ser uma leitura necessária.

    Amei demais a sua resenha, está linda e me deixou arrepiada! ❤

    Beijos
    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Acho que ainda não tinha lido nenhuma resenha desse livro, portanto, amei ler suas impressões. Acho importante encontrar livros que trazem assuntos mais sérios, portanto, é uma leitura que me despertou o interesse.
    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Oi Sabrina, tudo bem?
    Não conhecia esse livro e a sua é a primeira resenha dele que vejo e nem preciso ler mais nenhuma para saber que quero lÊ-lo! Adoro trillers e esse aparenta ser um muito bem escrito e profundo, tendo em vista o que acontece com as personagens. Maya com certeza é uma personagem forte por estar ao lado da polícia.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom?

    O edição desse livro é linda e dá vontade de comprar só por ela. Além disso, a premissa é ótima e parece ser o tipo de livro que eu vou adorar ler. Sabendo que a narrativa é extremamente fluida e que parece deixa o leitor pensando sobre ele mesmo após terminar a leitura, só aumenta a minha vontade de ler. Confesso que não conhecia a obra, mas estou bem curiosa sobre como ela abordou esses temas ;)

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Oii
    Uau, já tinha visto fotos desse livro mas nunca tinha parado para ler sobre o que se trata, não sabia que se tratava de assuntos tão sérios e muito menos que era um thriller. Deve ser um livro bem intens. Amei a resenha, me instigou para ler esse livro.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Já tinha visto esse livro por ai e me chamado atenção pela sinopse. Deve ter sido uma experiência maravilhosa ler essa obra. A carga dramática desses temas em uma narrativa bem desenvolvida deve estar de deixar o leitor sem fôlego.
    O trabalho da editora com o projeto gráfico ficou lindo.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Quem vê essa capa nem faz ideia de que esse livro trata de um tema tão doloroso, né? Meu Deus, antes de ler sua resenha eu jurava que era um romance ou algo fofo. Só de ler suas impressões já fiquei com um apertinho no peito, espero ler logo, sei que vai me emocionar demais.

    ResponderExcluir
  10. Olá Sabrina,
    Conclui essa leitura recentemente e fiquei dolorida, como você. Eu adorei a forma como ele é narrado e como ele é real. Imaginar que algo assim acontece dia após dia com várias jovens dilacera meu coração. A autora soube pegar o cerne de um personagem louco e o quão certo ele acha o que faz. Adorei isso.
    Também achei a narrativa ágil, mas li devagar, pois estava bem dolorido ler, sabe?
    Amei a resenha e as fotos.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sabrina!
    Ainda não tiva a oportunidade de ler este livro, mas pela sua resenha deu para perceber que é uma trama muito bem contruída ao redor de um tema tão forte - e que ao mesmo tempo deve ser tratado porque nós sabemos que essa é sim a realidade de muitas mulheres. Fiquei bastante interessada, já coloquei na minha lista!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?
    Só de ler sua resenha já fiquei com um nó na garganta, já imagino quando ler o livro - que após essa resenha maravilhosa eu vou ter que ler né?
    Ele realmente trata de uma temática muito, muito forte, mas necessária de se abordar, já que existem muitos casos de meninas torturadas por monstros assim né? E curti saber que apesar desta temática pesada, é uma leitura que flui bem, já que continuamos por precisar conhecer toda a história.
    Amei demais a resenha, as fotos e espero poder ler este livro em breve ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Eu gostei da sua resenha, ficou bem legal e essa edição ficou bem caprichada, já vi de perto. Parece ser de fato uma leitura muito boa, a temática apesar de forte me interessa. Dica anotada!
    Abraço!

    ResponderExcluir