Resenha: Prosmíscuo ser de partitura finita - Cris Coelho

33 comentários

Duas vidas entrelaçadas por um mesmo propósito. Um carma que é passado por diferentes gerações unindo duas mulheres em épocas distintas. De um lado, está Maria Scarlet, uma prostituta de um passado distante que, após apanhar muito da vida, consegue se estabelecer como dona de um bordel. Com o tempo, o bordel ganha fama e se torna referência na pacata Holanda de 1750, derivando a qualidade de seu nome para a rua a qual o estabelecimento funcionava: “Red Street”, atualmente conhecida como “Red Light”.

Do outro lado, está Anna Lara, uma mulher frágil e atormentada pelas lacunas do seu sombrio passado. Com o suporte de Maria Scarlet, Anna Lara cria defesas emocionais por meio da energia sexual que recebe de sua protetora e se torna participante ativa e assídua de toda forma de desvio sexual, ao lado de seu parceiro de vida, Jota Jr. Em um enredo psicológico completamente envolvente, Anna Lara esbarra nas lacunas sexuais escondidas nas partituras não terminadas de um universo promíscuo e misterioso.



* Livro gentilmente cedido em parceria pela editora *

"Chegamos ao nosso apartamento em silêncio. A casa parece mais fria que de costume. Sinto cheiro de morte em todos os cantos. Mal consigo andar."
Neste livro somos apresentados a Maria Scarlet e a Anna Lara, duas mulheres que viveram em épocas diferentes, de maneiras e costumes diferentes, porém estão unidas numa ligação difícil de explicar, e de entender. A história gira em torno da vida das duas, Anna Lara como protagonista e Maria, um espirito de uma prostituta de 1750 que vive rodeando a primeira.

Logo no início do livro, damos de cara com um aborto realizado num 'terreiro' de umbanda, e já aqui, eu senti que não ia gostar deste livro. Achei a descrição do lugar muito vaga e preconceituosa, como um ambiente sujo e situado na parte mais pobre da cidade.

A narração da história também não funcionou pra mim. Ora narrada por Anna Lara ora por Maria, ficou confusa e por vezes me perdi, e tinha que voltar a leitura pra saber quem estava falando.

Muitas coisas foram jogadas na narrativa que ao invés de esclarecerem certos pontos, deixou tudo mais carregado e confuso. Relações problemáticas demais, tanto familiares quanto intimas, me fizeram querer desistir da leitura várias vezes.

A relação de Anna com seu marido Jota é outra coisa que incomodou muito. Jota é um homem mimado e abusa dessa posição, e Anna é submissa de uma maneira inconcebível pro tempo que vivemos hoje. Aceita as imposições sexuais que seu marido lhe impõe, numa relação claramente abusiva da parte dele e doentia da parte dela.

"- Anna Lara, eu quero fazer amor com você e com seu rabo. Saia dessa banheira e vem me dar... Agora!"
A mistura de muitos elementos sobrenaturais somados a uma erotização violenta me deixou pouco a vontade. Há espíritos, centros de trabalhos espiritas, umbanda, possessão e as relações são forçadas demais. Não pela religião, mas pelo modo como foram inseridas no enredo.

Uma coisa que me incomodou bastante também foram as descrições dos ambientes, muita riqueza no núcleo principal, pois Jota é rico, herdeiro de um grande negócio deixado pelo pai e tudo é extremamente fácil. Achei exagerado demais.

O livro possui um enredo psicológico muito intenso, a leitura é adulta e em certas partes pesada, como já mencionei, em alguns pontos foi difícil continuar. A história termina com um gancho pra uma continuação, e algumas perguntas têm resposta e outras não.

Enfim, não foi válido pra mim, achei rasa, pouco embasada nas questões introduzidas, que foram confusamente incluídas, misturadas de qualquer modo. Entretanto, muitas pessoas resenharam positivamente, dizendo terem gostado muito. Deixo ao leitor dar ou não uma chance.



33 comentários

  1. Nossa senhora que livro difícil em! Sinceramente acho que não o leria de jeito nenhum, não gosto quando os autores inserem vários elementos em um livro, e ainda mais sendo ele tão curto.
    Desse livro passo longe rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mila! E põe dificuldade nisso! Acredito que a idéia inicial da autora até foi boa, mas não foi desenvolvido na maneira e proporção certa, pelo menos no meu ponto de vista. :/ Li até o final porque não queria desistir e talvez no final tivesse algo que mudasse minha opinião. Mas não foi dessa vez.. :/

      Excluir
  2. Que pena que essa leitura não foi nada legal pra você, realmente adorei a sinceridade de sua resenha, pelos pontos que destacou eu também não ia querer lê-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Sil! Acredito que se tratando de um livro, cada um pode interpretar e entender de maneiras diferentes, como eu mesmo li muitas resenhas positivas sobre ele, mas infelizmente pra mim não funcionou. :(

      Excluir
  3. Oi, tudo bom?
    Não conhecia o livro e já não me interessei muito. O que mais me deixa triste é saber que não foi muito embasado e que ficou confuso, porque acredito que poderia sair alguma coisa boa com os temas que esse livro aborda.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Felipe! É verdade, se os temas tivessem sido abordados de uma maneira diferente, acredito que seria um livro mais agradável.

      Excluir
  4. Pelo visto é o famoso samba do crioulo doido... Meio confuso, as vezes muita coisa no enredo acaba atrapalhando mesmo. Uma pena.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose! Não é, menina? Ficou um pouco abarrotado para o meu gosto.. Aí me perdi na leitura infelizmente!

      Excluir
  5. Eita! esse livro com certeza eu descarto, não é muito meu estilo preferido e depois de ver como se desenvolve a história eu não gostei. Poxa vida :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tainá! Eu tentei até o final, porque queria que a leitura ficasse boa pra mim, mas não aconteceu.. :(

      Excluir
  6. Hummm não funcionaria para mim não só por causa das suas ressalva, mas realmente não gosto do gênero! Bjs e feliz 2018!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia! Obrigada pelo comentário! Feliz 2018 linda! ♥

      Excluir
  7. que pena q n deu certo esse livro pra vc, é mto ruim quando a gnt n se identifica com a leitura, adorei sua resenha sincera e eu tbm nao fiquei com nenhuma vontade de ler esse livro parece ser bem chatinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Gih! É mesmo ruim quando não conseguimos gostar da leitura, é uma pena. Sinceridade tem que ter né..

      Excluir
  8. Oi!
    Gostei da capa e do título do livro. Achei poético.
    Mas não gostei do tipo de história e nem mesmo de alguns diálogos.
    Gostei da forma de como você conduziu suas críticas, de forma respeitosa e sincera.
    Apesar de saber que também não gostaria do livro, acredito que ele possui uma história muito mais próxima da realidade do que imaginamos.
    O lance da libertação da mulher, da não submissão e não aceitação de subjugação da violência e qualquer tipo de abuso, é muito nova e por isso, muitas mulheres ainda se mantém em relacionamentos destrutivos e abusivos.
    Ainda tem muitas mulheres que permitem uma relação como a descrita nesse livro.
    O fato de você não ter gostado é uma coisa, mas que ele traduz a realidade, é verdade, sim!
    Mas enfim, eu acho que não leria.
    Mas curti sua resenha!
    Abraço!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eliziane! Muito obrigada pelo comentário! E sim, é verdade que o assunto retratado é real e constante! Meu ponto quanto a essa questão, foi não ter conseguido digerir a relação abusiva entre o casal. Acredito sim, ser muito válido retratar relações de violência contra mulher, mas romantizar essas retratações é, que ao meu ver, não pode.
      Bjo ♥

      Excluir
  9. Oii
    Ah, que pena não gostou da leitura, é horrível quando isso acontece. Eu ainda não li mas li umas resenhas e fiquei curiosa, espero gostar.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bya! Leia sim, por favor! Talvez você encontre coisas que eu não consegui, porque quando não gostamos do começo de uma leitura, parece que vamos até fim sem querer gostar. Li muitas resenhas positivas também, quem sabe você não goste?
      Obrigada pelo comentário!
      Bjoxx ♥

      Excluir
  10. Oi! Acho que nunca leria esse livro, achei uma das citações de muito mau gosto, não por ser erótico, mas por forçar muito a barra! Há diferença, na minha opinião, entre ser erótico e ser vulgar! Te entendo por não ter gostado da leitura, acho que eu também não acharia válida para mim!
    Obrigada por compartilhar sua opinião sincera conosco! <3
    https://quiosqueliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna! Concordo muito com você! Algumas partes do livro são tão vulgares que fiquei pensando se eu era careta demais ou se tava pesado mesmo. Tem muitos leitores que gostam de histórias nesses termos, mas pra mim, não colou..
      Muito obrigada!
      Bjoxx ♥

      Excluir
  11. Jesus amado, esse livro é meio pombo, né?
    Olha só pelo negocio do aborto no terreiro, eu já esperaria a merda que veio
    SOCORRO.
    Sinto muito por vc ter tido que ler um troço desses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kris! Hhahahahah Foi uma leitura forçada até o fim, mas valeu o exercício. As vezes é bom sair da zona de conforto um pouco. Obrigada pelo comentário linda!
      Bjoxx ♥

      Excluir
  12. Recebi esse livro contra minha vontade para resenhar, vi tantas críticas negativas que nem me dei o trabalho de ler. Eu realmente já achava que seria uma leitura difícil, mas tudo o que você citou não me deu nem um pouco de vontade de ler infelizmente. Uma pena que foi uma leitura ruim.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila! Sim, foi uma leitura complicada pra mim. Mas como disse antes, valeu o exercício. Ainda que não tenha sido boa, foi uma experiência.
      Obrigada por comentar!
      Bjoxx ♥

      Excluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas lendo sua resenha já percebi que vou querer passar longe dele. Primeiro, por essa ambientação do terreiro de umbanda ter sido tão vaga e um pouco preconceituosa. Apesar de ser uma religião que não conheço muito, acredito que todas as religiões devem ser tratadas com respeito. Além disso, essa comportamento submisso da Ana em relação ao marido já me incomodou de cara, ainda mais que fiquei com a impressão de que ele foi romantizado no livro.
    Enfim, percebi que você não gostou da leitura e vi vários pontos que me irritariam também, por isso, não pretendo ler. Mas adorei a sinceridade da sua resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria! Você pontuou a grande maioria das razões que me incomodaram no livro. Infelizmente não foi uma das melhores leituras que eu fiz..
      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  14. Olá
    poxa, que pena que a leitura não funcionou para você, realmente tbm não faz meu gênero mas ainda assim espero que os fãs do gênero curtam pois parece ser boa, talvez não tenha funcionado para você, que pena :(

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catharina! Realmente não funcionou pra mim. E li muitas opiniões favoráveis, o que mostra que gostos são mesmo individuais.
      Volte sempre!

      Excluir
  15. A premissa do livro tinha me deixado curiosa, mas só isso mesmo... o resto desceu ladeira a baixo, por que olha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natália! Não digo pra não ler, porque talvez você possa gostar, mas eu particularmente não recomendo.
      Obrigada por passar por aqui!

      Excluir
  16. Olá, gostei da resenha, mas confesso que esse tipo de obra não consegue me atrair...dificilmente leio coisas do gênero a não ser q receba de alguma parceria.
    Vou anotar a dica pra repassar para algumas amigas que curtem.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel! Anote sim, quem sabe alguma curta a leitura?
      Beijos

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir