Resenha: Battle Scars - Jane Harvey-Berrick

13 comentários

Das planícies empoeiradas do Afeganistão para os corredores lustrosos do New York Times, a jornalista MJ Buckman busca a verdade, toda a verdade e nada mais que a verdade. O que ela não esperava encontrar era um homem que é completamente seu oposto... e se encaixa perfeitamente.
O Sargento Jackson Connor da Marinha sabe que relacionamentos não funcionam para os homens das forças armadas. Ele é uma prova viva disso. Mas quando uma mulher tentadora de olhos de aço em um colete à prova de balas, que coloca sua causa moral à frente dela mesma, cruza seu caminho, ele fica furioso, curioso e com todo tipo de desejo.
***
Uma história de amor adulta sobre duas pessoas que não estão à procura de amor, mas percebem o quanto é precioso quando o encontram. Eles não jogam e não há incompreensões estúpidas, apenas a vida em seu caminho.
Eles podem se comprometer? E como se parece um relacionamento moderno entre duas pessoas impulsionadas?
Designação versus implantação.
Eles estão sempre viajando em direções diferentes. Qual relação pode sobreviver a isso?

*E-book de acervo pessoal da blogueira*

Bom, vamos lá com essa resenha. 

A princípio confesso que nem queria fazê-la no blog, afinal foi algo que fiquei tão frustada que não consigo colocar minhas ideias boas na frente, mas pensei: se eu resenhei Gang Bang acho que esse merce estar aqui também hahaha. 

Eu adoro um livro com soldados, e quando vi esse lançamento logo peguei, mesmo sem ler sinopse nem nada, e aparentemente estava gostando do livro, até chegar lá pelos 70% e a autora conseguir estragar toda a história (na minha humilde opinião). 

Battle Scars trás a história da jornalista de guerra MJ Buckman (Maggie) e o Sargento Jackson Connor da Marinha. Eu desde a primeira página amei a Maggie, ela é simplesmente foda! Ela vai para a Guerra para fazer matérias sobre os civis, sobre como aquele evento afeta as vidas deles, falar de coisas importantes para mostrar o mundo a situação daqueles lugares que muitas vezes são esquecidos. Em um desses serviços ela acaba sendo resgatada pelo Sargento, e aí rola uma química quando eles estão de volta aos Estados Unidos, e a partir daí acho que vocês já sabem o que acontece né? Eles se apaixonam loucamente e o fato de ambos irem pra Guerra atrapalha em imenso a situação.

"Enquanto tropeçava como uma sonâmbula, atravessando o aeroporto, pensei novamente como tinha sorte de nascer americana e, portanto, em teoria, livre. Apesar das perdas que eu tinha resistido durante meus trinta e um anos, ganhei na loteria da vida."

Bom, eu não me incomodei com o fato do relacionamento deles, eu até gostei porque começou como algo bem sincero, são duas pessoas adultas que sabem que não tem tempo pra relacionamentos, mas quando as coisas começaram a ficar mais sentimentais eu juro que comecei a me preocupar, porque né nenhum dos dois queria largar o emprego pra correr atrás do outro, ambos amavam sua carreira e viam importância no que faziam para o mundo, mas bem.... aí a autora conseguiu estragar a história completamente. 

O trecho abaixo contém spoiler, então caso você queira ler é só selecionar o texto. Beleza? 

Maggie finalmente consegue o emprego dos sonhos, ser a representante do The New York Times no Cairo, onde está acontecendo uma das maiores guerras atualmente. No início a autora até tenta manter o negócio de relacionamento a distância, e estava funcionando pra eles. Mas daí acontece um atentado na base da Marinha que Jack é oficial, e o que acontece? ELA LARGA TUDO QUE CONQUISTOU PRA CORRER ATRÁS DO MACHO!

Desculpe, mas considerando toda a história, todos os (aproximadamente) 70% do livro onde ela amava seu emprego, sonhava com o cargo no Cairo, via uma extrema importância em fazer o que fazia, não tem sentido ela largar tudo porque viu que Jack era o amor da vida dela e ela deveria dar mais valor aquilo para se mudar pra perto dele, casar e ter dois filhos em uma casa com cerquinha branca. 

"Mas quando o ódio é seu direito de nascença, a esperança parece muito longe, e eu me perguntei se Deus tinha ouvido minhas orações."
A autora quis passar uma mensagem na história de que às vezes não estamos esperando encontrar o amor, mas que quando ele aparece não devemos perder tempo, devemos nos agarrar a cada detalhe daquele amor verdadeiro, mesmo que pra isso tivermos que abrir mão das coisas que sempre sonhamos, pois os sonhos podem ser "contornados", e sendo bem sincera NÃO COLOU.

Em momento algum Jack pensou em sair da Marinha para ficar mais perto da Maggie, em momento algum ele ofereceu isso a ela. Quando um outro repórter questiona a Maggie sobre ela estar louca em abandonar o cargo para se casar ela simplesmente mostra a foto do boy e o cara fala: - miga agarra e não larga mais '-' Juro que isso me decepcionou demais. 

O livro fora esse detalhe do relacionamento dos dois é simplesmente foda, porque a autora retrata a guerra e as consequências dela de uma maneira muito verdadeira, mostra o preconceito que os próprios americanos tem com os soldados do seu país, mostra como as mulheres são discriminadas em um cenário de guerra e como aquilo tudo é um caos desnecessário. Muitas vidas são ceifadas simplesmente por brigas políticas e religiosas, crianças, mulheres, idosos... É muito triste pensar nesse assunto. 

"Não há nada de bonito em relação à guerra. Nós dois sabíamos que os erros aconteciam, e era sombrio e caótico. Uma das frases mais feias era - danos colaterais 0 porque era uma maneira higienizada de dizer que alguém havia morrido sem motivo. As pessoas morreram porque estava no lugar errado na hora errada: civis, militares, velhos e jovens. Os jornalistas também não eram imunes ao perigo - como eu sabia muito bem."
Outro ponto que eu gostei muito que a autora abordou foi a questão dos refugiados da Síria na Europa, ela meio que mostrou os dois lados da moeda, a dos cidadães que tem que lidar com pessoas que tem outros costumes e religiões em cidades bem mais liberais do que as que eles vieram, e também o lado dos refugiados que não recebem apoio do governo pra nada e acabam vivendo nas ruas passando fome, frio e chegando a fazer besteiras para alimentar sua família.

Mas infelizmente pra mim mesmo tendo tantos pontos incríveis na história sobre a Guerra e o preço dela para todos os envolvidos o livro morreu com o final que a autora deu para o casal, não fez sentido considerando toda a história anterior e todo o passado dos personagens sabe? O amor verdadeiro pode coexistir com seu trabalho, seja ele qual for, e nenhuma mulher tem que abrir mão da sua carreira para ser feliz ao lado de quem ama, tudo pode ser arranjado nessa vida. A autora tinha um trunfo incrível nas mãos, estava conduzindo perfeitamente bem a história, mas tudo desandou no final e me deixou muito frustada de ter perdido tanto tempo lendo.

"Quem teria pensado que o Fuzileiro intenso e agressivo que conheci em circunstâncias tão difíceis poderia contar piadas, provocar e fletar?"




13 comentários

  1. Parece ser interessante, mas confesso que não me encheu os olhos, então essa dica deixarei passar até porque vi também que não lhe agradou tanto, quem sabe na próxima.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Gostei. Um romance em meio a conflitos, tanto por causa da guerra quanto por causa dos próprios personagens. Parabéns pela resenha. Não conhecia o livro e gostei.

    ResponderExcluir
  3. Oi Sabrina, tudo bem?
    Eu tenho um sério problema com livros que o relacionamento dos protagonistas seguem um caminho voltados para o só preciso de você, alguém precisa abrir mão da carreira de um pelo outro, porque eu acho que o saudável é cada um ter sua própria vida e quem quer faz funcionar mesmo com distância, carreira, etc...
    Mas fico feliz porque o livro teve uma pesquisa bem feita sobre a guerra e preencheu parte da leitura de forma agradável.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu nunca tinha ouvido falar sobre este livro, mas ainda bem que trouxeste opinião! Fiquei algo curioso, mas não fa muito o meu género de leitura habitual.

    E uma pena que o final das personagens não se coadune com a historia passada delas e do próprio livro! Odeio quando isso acontece!!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    A premissa é boa e sobre a parte da guerra também acredito que iria gostar, apesar de ser fã da narrativa da Jane Harvey, as vezes a forma como conduz seus finais me deixam meio chateada e com esse sentimento de perda de tempo. Pena que nessa história isso se repete.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Oi Sabrina, que pena que a autora tomou este rumo na história, sim eu li o spoiller!!!! Na minha opinião ela poderia fazer outras coisas, mesmo diante do atentado. Não era preciso esta atitude intempestiva.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu gostei da premissa do livro, mas quando li sua resenha, com os spoilers, fiquei decepcionada! É um livro que não leria!

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Eu fiquei animada quando vi o título, mas fui desanimando com suas pontuações durante a resenha, porque normalmente eu não consigo fazer resenhas de livros que não curtir, mas adorei sua sinceridade nos seus comentários. Muitas vezes não temos boas leituras e vida que segue.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro, a premissa é até interessante, porém como você deu nota baixa para o livro eu vou dispensar. Eu vi spoiler ai e não curti, mas acontece! kkkkkkkk
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia a obra e infelizmente não é o gênero que eu curto muito de ler

    ResponderExcluir
  11. Olá, ainda não conhecia esse livro, ótima resenha. Pela premissa eu até que estava achando a história interessante, mas pena que o desfecho dado aos protagonistas não lhe agradou (e acho que também não me agradaria).

    ResponderExcluir
  12. É uma pena que o livro não tenha te agradado totalmente, ele tem uma premissa realmente muio boa! No mais, eu não gosto desse tipo de livro, então de qualquer forma, passo a dica!

    ResponderExcluir
  13. Olha, eu não gosto nadinha de contextos com soldados, guerras e adjacências. Mas se você costuma gostar e essa não lhe foi uma boa leitura, calma que a próxima será! E sua resenha está ótima!! Parabéns!
    Entretanto essa dica, eu vou passar! :D

    Beijinho!!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir