06 dezembro 2017

Resenha: O Pântano das Borboletas – Federico Axat

em 06 dezembro 2017

13 comentários

Sam e Billy têm 12 anos e moram na pequena Carnival Falls. Amigos inseparáveis, eles percorrem o bosque de bicicleta e preparam-se para terminar a construção da sonhada casa na árvore. Compartilham tudo, inclusive a paixão por Miranda, a menina rica que acaba de se mudar para a cidade. Juntos, os três vivem as descobertas e as transformações típicas da idade e desvendam o mistério que assombra a vida de Sam: o paradeiro de sua mãe. Com esses ingredientes e doses generosas de lirismo, Federico Axat escreveu uma história admirável sobre a delicada passagem da infância para a adolescência e desta para a vida adulta. Mas não só. Romance de crescimento e suspense com incursões pelo fantástico, O Pântano das Borboletas reserva uma desconcertante reviravolta final: um segredo que, revelado, arremessa o leitor em um torvelinho de emoções e confere à trama um sentido totalmente novo.



*Livro do acervo pessoal da blogueira*

"Da mesma forma que eu, mas por razões diferentes, Billy nunca havia se encaixado com o resto. "
A história é narrada do ponto de vista do protagonista Sam Jackson, e ocorre em momentos diferentes, o que ajuda muito a manter o interesse e a curiosidade sobre como os eventos mais importantes da história são desencadeados. E Sam, juntamente com outros dois personagens formam um belo triângulo, a parte mais doce do livro. Os personagens são mágicos, e são desenvolvidos com tanta delicadeza que a gente se sente próximo deles inevitavelmente. E, também, são protagonistas de uma história de amor que parece ser impossível por várias razões, mas que mantém a magia do primeiro amor, esse primeiro amor etéreo que nos sacode como crianças e que é impossível esquecer.

"Enquanto seus lábios se moviam, recitei de cabeça as palavras que sabia de cor: Basta-me sonhar com teu sorriso, sentir sua pele em uma pétala, imaginar seu rosto na chuva. A razão não engana o coração."
Ambientado numa pequena cidade do interior, este livro trás consigo o gosto da infância e das brincadeiras. É muito fácil reconhecer situações e sentimentos que vivenciamos enquanto pré-adolescentes. Os lugares escondidos nas matas vizinhas, as árvores que servem de abrigo, caminhos secretos que toda criança descobre e explora e que faz de seu pequeno reino deixa o livro saboroso e convidativo. A sensação de que na próxima página ficará ainda mais interessante.

Outra parte importante do livro é que parece ser muitas coisas ao mesmo tempo, sem ser de fato. Às vezes, parece ser um drama, então um livro de ficção científica, ou talvez uma história paranormal.. Mas, quando finalmente, tudo se encaixa, tudo tem seus motivos para ser e todos os personagens e circunstâncias estão conectados harmoniosamente. Essa é a maior conquista de Axat: escrever um romance que é impossível classificar por causa da diversidade de suas páginas e que leva o leitor a uma jornada no passado para lembrar o que é ser uma criança, e como é esse passo para alcançar a vida adulta, com tudo o que pode acontecer no meio e com tudo o que implica no crescimento de uma pessoa.

"Recostei-me no muto de pedra. Já não há como voltar atrás, pensei com horror. Estávamos a ponto de ameaçar o homem mais importante de Carnival Falls."
À medida que avançamos, o autor apresenta os mistérios para que o leitor tenha um punhado de perguntas que borbulham na cabeça, empurrando a leitura do livro para suas últimas páginas para descobrir o que realmente aconteceu. Encontramos uma história cheia de segredos. Um romance que se desencadeia abrindo mistérios, segredos, desaparecimentos que dão origem a lendas e amores, que são misturados com fios sobrenaturais. Precisamos saber o que aconteceu com a mãe de Sam, o que acontece naquele momento difícil em que as crianças crescem e quais os segredos escondidos atrás de um rosto familiar. Como uma teia de aranha que se expande.

Mas se algo chamou minha atenção neste romance, foi o fim. Um fim que surpreende e fecha tudo dando uma explicação mesmo ao que pareceu inexplicável e que eu reconheço que não esperava. Então voltei para as primeiras páginas para descobrir com surpresa que o autor deixou pistas em alguns pontos muito bem escolhidos. Axat dá um último toque de magia e entrega um final brilhante!

"Carnival Falls foi me próprio pântano, a ideia tem até um lado poético. Precisei partir para começar um novo ciclo, como toda aquelas borboletas que ficavam pelo bosque e só voltaram para se acasalar. "


   

13 comentários:

  1. Oi Aline!

    Tudo bem? Eu já tinha ouvido falar sobre o livro logo que ele foi lançado e fiquei bastante curiosa sobre a sua história, mas é tanto lançamento e tanta coisa que me interessa que fica difícil lembrar de tudo.

    Eu adoro obras que despertam em mim esse saudosismo da infância e eu fiquei muito curiosa sobre essa questão de ele aparentar ser uma coisa quando na verdade a história acaba tomando um rumo diferente... Enfim, voltei a ficar curiosa!

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curiosa quanto ao mistério do livro, sobre as perguntas que ficam no ar. A trama parece ser muito boa e se tiver este final surpreendente que mencionou, sem dúvida preciso ler.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não conhecia o livro.E adorei conhecer a história,pois além de falar de mistério e um romance mostra a saída da infância para adolescência.Um livro que realmente leria e que me deixou muito curiosa.
    Espero poder ler em breve e dica anotada.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá ♥
    Não conhecia o livro, mas achei a premissa interessante. Gostei de saber que temos um mistério a cerca do livro e temos um plano de fundo entre infância e adolescência. Acho uma boa pedida, seria aquele tipo de livro que você lê rápido e pega tudo e guarda para sí. Estou bastante curiosa, beijos.

    ResponderExcluir
  5. Acho essa capa tão maravilhosa! Essa criança é linda! Acho que nunca li nada parecido com essa obra e isso me deixa feliz, as vezes é necessário sair de nossa zona de conforto. Vi que está com um precinho bacana na Amazon e irei adquirir.

    ResponderExcluir
  6. Oie!

    Eu adorei o gatinho, rs.
    Eu não conhecia o livro e pra ser sincera, eu não iria atrás se não fosse pela sua resenha. Tenho um problema quando o livro mistura muitos gêneros, mas mesmo se encaixando depois, não sei se gostaria. Parabéns pela resenha, anotei a dica.

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Aline, ainda não conhecia o livro e fiquei bem interessada, principalmente por este final surpreendente que você pontuou. Adoro livros assim.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi! EU nunca tinha sentido interesse por essa obra, mas a partir da sua resenha fiquei cheia de vontade de ler. Adoro esse tipo de livro que nos remete a infância e as nossas lembranças mais gostosas, e adorei saber que ele é um livro meio indefinido sobre o gênero. Parece algo que eu gostaria.

    ResponderExcluir
  9. Oie!!
    Confesso que eu não conhecia o livro e o nome não me chamaria muito a atenção até pq eu tenho um sério problema com borboletas e tal. Mas a sua resenha me chamou atenção até porque eu gosto muito de livros com mistério que te prende e de autores que conseguem nos surpreender com o final.

    Dica anotada.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  10. Oiiii,

    Toda vez que vejo a capa desse livro eu penso que é a história de uma criança psicopata rs, não sei porque, mas a expressão do menino na cala sempre me faz imaginar algo do tipo, então não seria uma história que eu escolheria para ler. Acho também que não saber direito até certo ponto da leitura ia me deixar confusa rs. Parece ser uma história realmente interessante e o final surpreendente me deixou um pouco curiosa, mas ainda não sei se daria uma chance pra leitura.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Volta e meia eu dou de cara com esse livro. Nunca parei para ler uma resenha sobre, porque essa capa não me atrai, porém achei muito legal essa história, acho que irei gostar, principalmente por falar nessa fase de mudanças.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?

    Eu sempre adorei histórias que envolvem crianças e pré-adolescentes, tipo Stranger Things. É ótimo quando eles conseguem desenvolvem bons personagens, como você mecionou que foi o caso desse, pois nos remete a nostalgia de uma época tão importante da nossa vida. A história é bem diferente do que eu imaginava, já que há tantos mistérios e segredos que só iremos descobrir cok o passar da leitura. Eu gosto de hsitórias assim, lois prendem a minha atenção e eu fico morrendo de curiosidade para descobrir tudo, rs.
    Mas o que eu mais gostei foi de saber que o livro é surpreendente e fecha a história. Só isso já me deixou com vontade de ler logo ;)
    A foto com o gatinho(a) ficou tão fofa que eu morri de amores <3

    Enfim, adorei a resenha e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Olá Aline,
    Já ouvi muitos elogios para essa obra, mas sempre em postagens e vídeos aleatórios. Sua resenha é a primeira que pego para ler de cabo à rabo e eu curti demais a premissa dele. Eu achei fascinante o decorrer da trama e fiquei muito curiosa para saber qual é esse final surpreendente.
    Vou me arriscar em ler, sem dúvidas.
    Beijos

    ResponderExcluir

TOPO