Resenha: As Cores do Amor - Camila Moreira

16 comentários
as cores do amor (4)

O que define uma pessoa? O dinheiro? O sobrenome? A cor da pele? Filho único de um barão da soja, Henrique Montolvani foi criado para assumir o lugar do pai e se tornar um dos homens mais poderosos da região. No entanto, o jovem se tornou um cafajeste aos olhos das mulheres, um cara egocêntrico segundo os amigos e um projeto que deu errado na concepção do pai. Quando o destino coloca Sílvia em seu caminho, uma jovem decidida e cheia de personalidade, Henrique reavaliará todas as suas escolhas. O amor que ele sente por Sílvia o fará enfrentar o pai e transformará sua vida de uma maneira que ele nunca pensou que fosse possível. Um sentimento capaz de provar que nada pode definir uma pessoa, a não ser o que ela traz no coração.



                                         *Livro recebido em parceria com autora*
Como pode em um país como o Brasil, que não tem uma raça predominante, onde a mistura torna o brasileiro único, uma pessoa ser tão desprezível e me julgar pela minha cor?
As Cores do Amor foi um livro que recebi para ler com muita animação, afinal trás a tona um tema extremamente importante, por uma autora que gosto muito e é claro é ambientado no mesmo lugar que 8 segundos – livro que amei de paixão. Mas infelizmente, quanto mais eu lia mais ficava decepcionada com o livro, e no final só consegui pensar que ele tinha uma premissa brilhante, mas que infelizmente não soube ser aproveitado.

A história começa logo no casamento de Pietra e Ranger (os protagonistas de 8 segundos), Silvia é amiga de Pietra e foi madrinha do casamento, e Henrique foi um dos padrinhos. Na festa do casamento ele acaba reparando naquela morena linda, e eles acabam trocando um beijo super quente que ascende uma vontade de algo mais, mas infelizmente eles acabam se desencontrando, e na próxima vez que se veem ele tem certeza que estragou tudo com ela.

Os dias passam e eles acabam se aproximando por mensagens, mas é quando ela se muda para a Fazenda Girassol que eles se aproximam ainda mais. Mas como levar um relacionamento a diante sendo que o pai de Henrique controla sua vida e é o maior racista do mundo? Ele nunca permitiria que seu herdeiro se envolvesse com uma negra pobre, como eles vão lidar com isso?
Silvia tinha o dom de me fazer esquecer tudo enquanto nos falávamos. Ela me acalmava e me deixava mais relaxado, mais distante do mundo em que vivia e mais perto de algo que muitos chamam de felicidade.
Bom, vamos começar pelo começo…..

Silvia inicialmente é colocada como uma jovem forte e batalhadora, que sempre lutou com unhas e dentes pra chegar onde chegou. Mas sinceramente eu não vi quase nada disso na personagem. Pra mim ela foi bem chorona, indecisa e quando precisava levantar a cabeça para não se deixar humilhar ela fazia exatamente o contrário e quebrava todo esse dogma de forte e batalhadora. As cenas protagonizadas por ela de racismo são de cortar o coração, MAS, são irreais demais – as do começo do livro – entendo que elas foram para fazer a personagem tomas uma decisão importante para o seguimento da trama, mas esperava mais cenas reais, dramas reais para mostrar ao leitor o quanto uma mulher negra sofre na nossa sociedade, e como disse não vi quase nada disso.

O racismo mesmo ficou em segundo plano. Era de se esperar que a personagem tivesse várias tretas durante a história para reforçar o tema principal do livro, para mostrar ao leitor o quanto negros sofrem mesmo sendo a maioria em um país ~evoluído~ mas em algum ponto da trama a autora se perdeu nos dramas desnecessários do casal e só lembrou do racismo no final, que foi bem bléh também.

Já Henrique, imaginei que seria um rapaz que não se submete as vontades de um pai autoritário que nunca gostou dele do jeito que é, que seria um crush igual Ranger foi. Doce decepção. Henrique só tomou escolhas erradas durante o livro todo, chorou mais que a mocinha, queria comprar brigas sem sentido, e foi um verdadeiro fantoche do pai até o final da história. Não consegui simpatizar em nenhum momento com ele, infelizmente.
Muitas vezes, passamos a vida toda nos escondendo do amor, tentando evitá-lo, mas esquecemos que não temos controle sobre esse sentimento. Não tem como aprisionar um furacão em um copo.
Outra coisa que me incomodou muito é que não tiveram cenas de confronto com o pai racista onde o casal estivesse junto. Ou era Silvia ou Henrique que ‘confrontava’ o velho, nunca os dois. E mesmo assim quando aconteciam tais cenas não tinha muito drama sabe, os personagens só corriam, as vezes gritavam uma ou duas coisinhas e depois já deixavam o velho ganhar. Talvez se a autora tivesse colocado mais confrontos com o pai de Henrique, o livro tivesse mais tretas e assim teria me ganhado mais com o tal amor do casal, pois mostraria que eles estavam dispostos a lutar juntos pelo amor que sentiam, independente de raça ou classe social.

O romance do casal foi outra coisa que não colou. Química instantânea, sexo quente, amor rápido demais, brigas desnecessárias, e outras coisas a mais…. Foi o que eu chamo de ‘amor miojo’ – 3 minutos, 1 transa e pronto: já estão prontos para se amar até ficarem velhinhos e terem 50 filhos bonitinhos. Queria mais emoção, mais desenvolvimento, mais dramas reais para enfrentarem, para provar esse amor, e tudo que ganhei foi um belo de um clichezão.
Relacionamentos são caixinhas de surpresa. Talvez você abra uma e encontre um palhaço saltitante rindo pra você – ou de você. Mas talvez um casal dance ao som de uma música linda e te faça acreditar que o amor ainda existe. Porém, não tem como saber sem abri-la.
Em contra partida foi incrível rever aqueles personagens queridos de 8 segundos e ver como estavam felizes. Pietra e Ranger são dois amorzinhos pra mim, ver sua dedicação com o centro de Equoterapia foi inspirador, afinal mostra o quanto ela evoluiu pra melhor desde aquela primeira página da patricinha da cidade em 8 segundos. Outros personagens queridos como Mariana, Pedro e até Raquel tiveram seu destaque aqui também, e eu amei mesmo revisitar eles e ver como tocaram sua vida depois do “felizes para sempre” de Pietra e Ranger.

A edição da Editora Paralela arrasou mais uma vez, seguindo o mesmo ‘padrão’ de 8 Segundos ficou simplesmente linda. Adorei a simplicidade da capa e como ela transmite a premissa do livro muito bem. A diagramação também está linda com páginas amarelas e uma fonte de tamanho bom, e isso contribui muito para a leitura ser fluida.

As Cores do Amor foi um livro que tinha uma premissa brilhante, mas que foi se apagando a cada página, finalizando de uma maneira bem fraca e previsível. Esperava um livro com protagonistas fortes, um amor tão grande que era capaz de lutar contra o mundo para ficarem juntos independente da cor de sua pele, e tudo que vi foi um livro cheio de clichês desnecessários que se esqueceu do tema principal: o racismo. Não foi nem de longe o melhor livro que li da autora, e isso me deixou bem triste porque 8 segundos foi o melhor que li da Camila. Esse é um livro que precisava de mais realidade na trama, mais emoção e talvez assim convencesse a mim e a outros leitores que infelizmente também se decepcionaram com esse lançamento
O que define uma pessoa? A classe social? A aparência? O sobrenome? A cor da pele?... Silvia me ensinara que o que define uma pessoa é o que ela trás no coração.
                                         estrelas

16 comentários

  1. Também curti 8 segundos, não li esse.

    ResponderExcluir
  2. Poxa, Sabrina, que chato isso! Eu ainda não li nada da autora, mas já tive boas recomendações. Que pena que esse livro em particular não vingou. Em todo o caso, quero conferir os outros títulos.
    Bjs!
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Oi Sabrina, tudo bem?
    Assim que comecei a ler sua resenha e vi o primeiro quote pensei: Meu deus, que livro. Aí fui murchando conforme avançava em sua resenha. É uma pena que a autora tenha inserido o racismo, mas não tenha inserido cenas de confronto. A autora parece ter posto muita coisa à prova e se perdeu, o que é uma pena.
    Vou passar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nada da autora, mas sei que ela é bem aclamada. Que pena que o livro se perdeu em seu proposito. Uma trama que tinha tudo para ser perfeita, se soubessem desenvolver ela. Mesmo assim, espero em breve, ler algo da Camila.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiii,

    Eu adoro os livros da Camila, mas realmente tenho lido muitas reclamações sobre As Cores do Amor, é muito triste quando a gente adora o trabalho da autora e ai vai pra uma leitura esperando muito e acaba se sentindo frustrada e com a sensação de que partes da história se não ela toda foi desnecessária, e principalmente quando tem uma história legal que não foi bem trabalhada como o caso do racismo. Sua resenha foi bem sincera e me deixou com mais um alerta pra poder ler o livro e não esperar de mais.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi gatona, na época do lançamento do livro fiquei master empolgada em ler porque apesar da pertinência, são poucos os livros que falam sobre racismo. Mas minha empolgação foi se passando no decorrer das semanas e agora lendo a sua resenha, acho que foi bom não ter priorizado a leitura, porque p´assunto é muito sério para se perder em um enredo cheio de clichês.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Ainda não li nenhum livro da autora, mas pela sua resenha eu já posso ver que não gostaria dessa leitura em particular.
    Adorei a analogia do romance miojo, e se tem uma coisa que me desanima em uma leitura é quando isso acontece. Tudo bem sentir atração e extravasar, mas daí a chamar de amor da vida logo em seguida, sem nem conhecer nenhum traço da personalidade do outro é de dar nos nervos.
    Adorei a resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá, essa é a primeira resenha que eu vejo desse livro e é a primeira resenha negativa também, eu estou querendo muito ler esse livro, eu amo 8 segundos, e esse livro me deixou extremamente curiosa, eu gosto de ler uma resenha negativa pois eu não vou com muitas experiências

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Nossa, tbm recebi esse livro de parceria e estou bem surpresa com a sua resenha. A pessoa que leu o livro foi a Laneeh e tenho que dizer que ela amou a história. As suas críticas foram bem fundamentadas, a sua resenha foi bem inscrita e sincera, mas estou surpresa haha

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  10. Oi,

    Eu não li ainda nenhum livro da autora, mas conheço o 8 segundos. É uma pena que este te decepcionou, entendi muito bem os pontos que colocou, principalmente a questão de uma personagem ser descrita de uma forma, mas na história se apresentar de outra totalmente diferente. Isso mostra uma certa imaturidade por falta do autor. Enfim, não é um livro que eu leria. Parabéns pela resenha.

    beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?

    Quando eu li a premissa, fiquei encantada. É tão difícil achar livros protagonizados por negros, o que é incoerente, inclusive no Brasil, um país tão miscigenado. E abordando o racismo, com o amor superando isso? Incrível!
    Porém, ao ler a sua resenha, vi que as minhas expectativas estavam muito altas e o tombo foi grande. Me decepcionei ao saber que é bem diferente do que eu imaginava.
    Acho que temos que ter delicadeza ao falar desse tema, mas é preciso trazê-los em um livro para provar que o preconceito ainda existe, ainda mais com mulheres. Todavia, em vez de uma mulher forte e batalhadora, como esperado, temos uma jovem sofredora e que se deixa abater. Realmente não é algo que eu queira ler.
    Futuramente, quem sabe, posso dar uma chance a 8 segundos e, talvez, gostar como você gostou.

    Enfim, adorei a resenha e obrigada pela indicação mesmo assim :)
    Abraços.

    https://instantesmemoraveis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Sabrina,
    ler sua resenha fez com que eu me sentisse compreendida, sério mesmo, foi como se suas palavras me abraçassem, e olha que nunca li nada da autora. Acontece que bem recentemente li dois livros que me fizeram sentir exatamente assim, eu comprei a história que foi vendida de que a mocinha seria forte, decidida e blá blá blá e quando iniciei a história me deparei com o completo oposto, na outra o casal também não convenceu, assim como você descreveu, a diferença foi que no livro que li as coisas não rolaram de cara mas passou-se toda a trama para que nos 45min, do segundo tempo tudo surgisse como um passe de mágica, do nada para o felizes para sempre, na época achei que eu poderia estar exigindo muito do livro e tals, mas lendo como você se sentiu ao se deparar com questões bem parecidas, tive certeza de que estava certa em meu levantamentos. Amei sua resenha pela clareza e objetividade.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bom?
    Então, não conhecia essa autora e é uma pena você ter se decepcionado com o livro. Eu acho incrível e muito importante temas sociais serem abordados na literatura, mas também acredito que o autor tem que ter uma responsabilidade muito grande ao abordar o tema escolhido e também escolher um tema com o qual ele possa se identificar, pra que não cometa erros. Livros assim carregam uma responsabilidade muito maior em seu conteúdo, por isso sua importância mas também o cuidado extra na hora de produzir algo assim.

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Uma pena quando uma história tem potencial, mas se perde no caminho ou não é bem desenvolvida. Não conhecia o livro, mas não me interessei pela leitura, por conta de todo o conjunto dos pontos ressaltados na resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem? Eu já ouvi falar da autora, mas nunca li nada. Não sou muito fã de romances, por isso acabei nunca lendo nada da autora. Que pena que a leitura não foi boa você, infelizmente essas coisas acontecem, de gostarmos muitos de uma obra e nem tanto de outra. Mas fico na torcida pra que sua próxima leitura seja boa.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  16. É flor, é bem triste quando o livro não supera expectativas e acaba decepcionando por conta do enredo fraco, seria um puta livro se ele focasse no racismo em si, mas como tu comentou não me agradaria nada, nem um pouco tanto clichê e história enjoativa, muito drama cansa e mesmo gostando da Camila esse dela deixo passar.
    http://k-secretmagic.blogspot.com.br/
    Xoxo

    ResponderExcluir