04 outubro 2017

Resenha: Mil Beijos de Garoto - Tillie Cole

em 04 outubro 2017

25 comentários
DSCN6534

Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.


*Livro recebido em parceria com editora*

Depois de quase dois anos que fiz essa leitura pela primeira vez, tenho novamente Poppymin e Rune em mãos, agora na versão física publicada pela Editora Planeta de Livros que está simplesmente maravilhosa. Mas será que mesmo já conhecendo a história eu terei os mesmos sentimentos e irei desidratar de tanto chorar como da primeira vez?
“E então éramos Poppy e eu desde aquele dia. Poppy e Rune. Melhores amigos até o infinito. Era o que eu pensava. Engraçado como as coisas mudam.”
Para quem ainda não conhece essa história épica segue um resumo rapidão:
Poppy e Rune se conheceram aos 5 anos, quando o pequeno Viking da Noruega se mudou para a Geórgia, em uma casa ao lado daquela pequena garotinha aventureira, e desde aquele aperto de mãos eles se tornaram melhores amigos. Poppy e Rune para sempre.

Mas aos 8 anos Poppy recebe um último presente de sua avó, um pode de ‘Mil beijos de garoto’, para ela colecionar todos os beijos que farão seu coração explodir com sua alma gêmea, uma aventura para a vida toda. E é claro que Rune não a deixaria colecionar esses beijos com ninguém além dele, e a partir daquele momento começa um romance épico que uniria aqueles dois corações para sempre, tornando-os um só.

“Talvez sejamos como a flor da cerejeira, Rune. Como estrelas cadentes. Talvez tenhamos amado muito e muito jovens, e a chama foi tão brilhante que tivemos que esmaecer. (…) Beleza extrema, morte rápida. Tivemos esse amor o tempo suficiente para nos ensinar uma lição. Para nos mostrar o quanto somos verdadeiramente capazes de amar.”
Eu amo sofrer lendo. Sério, só isso justifica encarar esse livro novamente e sofrer tudo de novo lendo. E sim, você também irá sofrer, porque Tillie Cole é uma destruidora de corações e rainha desse YA épico.

Como não dá para falar muito desse livro pois todo momento é um spoiler diferente, vou ser bem breve nessa resenha.

Mil beijos de garoto é uma história triste, até mais que Métrica, Raio de Sol ou outro YA parecido, mas que tem um ensinamento perfeito, em que cada lágrima que você derrama vem acompanhada de um sorriso, uma reflexão para a vida, para aproveitar melhor a vida.

Poppy é a garota que vê a beleza em tudo, ela é a luz da vida de quem a cerca. Ela não consegue ser amarga ou irritada, e sempre está feliz ou procura ver o lado bom naquilo. Quando a revelação do livro é passada, você fica completamente triste por ela, e vê que coisas ruins acontecem muito com pessoas boas, mas a coragem e determinação destas para enfrenta-las é tão grande, que inspira todos ao seu redor. Ela é forte, é guerreira, é teimosa e é completamente amável, duvido que ao ler esse livro você não consiga se apegar a ela, e queira ter pelo menos 1% da coragem que ela tem para enfrentar a vida, para partir em novas aventuras, mesmo quando elas representam um perigo a ela.

“É como música — ela explicou. — Quando olho para você, quando você me toca, quando vejo seu rosto, quando nos beijamos, meu coração toca uma música. Ele canta que precisa de você como eu preciso de ar. Ele canta que eu te adoro. Ele canta que encontrei a parte perfeita dele que estava faltando.”
E Rune, o Viking Norueguês, o menino que anda com a máquina fotográfica no pescoço capturando todos os bons momentos da vida. Com certeza foi um personagem que eu me identifiquei completamente, não só pelo amor a fotografia, mas pela personalidade duruna e um pouco cético, aquele que se apega fácil mas é que não sabe dizer adeus. Durante as três fases do relacionamento dos dois ele foi um personagem bem realista, toda a sua dor, toda a sua raiva é real, é algo que alguém nessa idade sentiria, e isso só faz com que tudo seja mais triste, e mais belo, pelas coisas que ele faz pela felicidade de Poppymin.

“Então chorei. Chorei pelo garoto que era meu sol. Lamentei pelo garoto que um dia eu amara com tudo o que eu tinha. Lamentei por Poppy e Rune – um casal de uma beleza extrema e de uma morte ainda mais rápida.”
O livro é narrado em sua maioria por Poppy, e tem alguns capítulos com o Rune também, ambos em primeira pessoa, e é incrível acompanhar toda essa história, toda evolução desse casal desde o dia que aquele menino rabugento se mudou até o fim daquele amor épico.

Reler esse livro foi uma experiência incrível, é claro que eu não chorei o tanto que chorei na primeira leitura que fiz, mas foi realmente emocionante e ainda assim terminei com a cara inchada. Este é um livro épico que te fará dar mais valor a vida, aproveitar todo e qualquer momento pois eles são únicos e não devem ser desperdiçadas com ódio e rancor. Este é um livro sentimental, que emocionará o leitor desde a primeira página e que o fará gastar uma ou dias caixas de lencinhos até a última página.

Uma chuva de quotes pra vocês:

“Não sei bem por quê, mas capturar momentos me fascinava. Talvez porque às vezes tudo que temos são momentos. Porque não há repetições; o que acontece em um momento define a vida – talvez seja a vida. Capturar um momento em filme o mantém vivo para sempre. Para mim, fotografia era algo mágico.”
“Naquele momento, naquele simples momento capturado, havia aquela expressão. A que ela me dava tão prontamente quanto dava à sua música. A que me dizia que eu era dela da mesma maneira que ela era minha. A que tinha garantido que passássemos todos aqueles anos juntos. A que dizia que, mesmo sendo jovens, tínhamos encontrado um no outro nossa alma gêmea.”
“Vovó também disse que as melhores coisas da vida morrem rápido, como a flor da cerejeira. Porque algo tão belo não pode durar para sempre, não deveria durar para sempre. Ela permanece por um breve momento no tempo para nos lembrar de como a vida é preciosa, antes de desaparecer tão rápido quanto chegou. Vovó disse que ela nos ensina mais em sua vida curta do que qualquer coisa que fique sempre ao nosso lado.”
“Mas então ele encontrou você, ela disse. Ele encontrou você. Você ensinou a ele, com palavras e ações, que a vida não precisava ser sempre tão séria. Que a vida era para ser vivida. Que a vida era uma grande aventura, para ser vivida bem e ao máximo.”
“Mas essa era Poppy, ela sempre dançou de acordo com a própria música. Ela sempre havia visto mais coisas acontecendo no mundo do que qualquer outra pessoa que eu conhecia. Ela via a luz perfurando a escuridão. Ela via o bem através do mal.” 

“Cada dia é um presente, Rune. Se aprendi alguma coisa nos últimos dois anos, foi isso.”
“— Eu sou a garota que acorda cedo para ver o nascer do sol. Eu sou a garota que quer ver o que há de bom em todos, a que é arrebatada por uma música, inspirada por arte. (…) Eu sou essa garota, Rune. A que espera a tempestade passar simplesmente para vislumbrar um arco-íris. Por que ser infeliz quando você pode ser feliz? É uma escolha óbvia para mim.”
“Esse encontro era nosso começo. Essas mãos unidas, um lembrete. Um lembrete de que éramos Poppy e Rune. Em algum lugar debaixo de toda a dor e toda a mágoa, debaixo de todas as novas camadas que adquirimos, ainda estávamos lá. Apaixonados. Duas metades de um só coração.”
“O beijo oitocentos e dezenove foi o beijo que mudou tudo. O beijo que provou que o rapaz taciturno de cabelo comprido da Noruega e a garota excêntrica do Extremo Sul podiam encontrar um amor que rivalizava com os maiores. Mostrou que o amor era simplesmente a tenacidade em certificar-se de que a outra metade de seu coração sabia ser adorada de todas as maneiras. Em cada minuto de cada dia. Que o amor era a ternura em sua forma mais pura.”
“Poppy, Poppymin, ela era a flor de cerejeira. Ela era a minha flor de cerejeira. Uma beleza sem par, de vida limitada. Uma beleza tão extrema em sua graça que não poderia durar. Fica para enriquecer nossas vidas, então voa com o vento. Nunca esquecida. Porque nos lembra de que devemos viver. De que a vida é frágil, mas, nessa fragilidade, há força. Há amor. Há propósito. Lembra-nos de que a vida é curta, que nossa respiração é contada e que nosso destino é fixo, independentemente do quanto lutamos. Lembra-nos de não desperdiçar um só segundo. Viver intensamente, amar mais intensamente ainda. Caçar sonhos, buscar aventuras… capturar momentos. Viver lindamente.”
favorito

25 comentários:

  1. Se este livro e mais triste que Métrica, e Raio de sol, meu Deus do céu não sei o que será de mim quando eu ler está obra. Sempre vejo muito elogios em relação a este romance, e está semana consegui ter a obra em mão, mas infelizmente só terei oportunidade de lê-lo ano que vem, e pretendo primeiro me preparar psicologicamente para o que está por vim. Me parece ser uma estória linda, com uma mensagem incrível.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Comprei esse livro em e-book há algum tempo, mas ainda não li. Sua resenha foi suficiente para eu colocar como prioridade na minha lista de leituras! Adoro sofrer com os livros também HAHAHA

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  3. Quero muito ler este livro, está na minha lista de desejos, por isso andei dando indiretas por aí de que é um presente que adoraria ganhar, vai que cola rsrs
    Não vejo a hora de me desidratar com está leitura, fortes emoções é comigo mesma.
    Adorei a resenha e a chuva de quotes.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. muito interessante esse livro, adorei a resenha ^^

    ResponderExcluir
  5. Comecei a ler este livro e não sei porque, tive um bloqueio sério com o enredo. Achei o inicio bem estranho e como já tinha pego alguns spoilers, decidi não prosseguir. Mas a grande maioria das pessoas tem a opinião bem parecida com a sua, que se trata de um filme tocante.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sabrina!
    Esse livro é incrível mesmo!!! Chorei muito lendo. Tocante e maravilhoso! E quotes no livro? É um mais lindo do que o outro.
    Nossa! Você releu? Não sei se estou preparada para reler o livro. Talvez um dia. rsrs...
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  7. Oie...
    Amei sua resenha!!!
    Gostei de saber que você gosta de sofrer lendo, pois, eu também sou assim kkk... Não tem jeito, sempre acaba o lendo uma quantidade maior de livros tristes.
    Acho a premissa desse livro bem legal e espero poder ler em breve.
    Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Sabrina!
    Ai que saudade do meu primeiro amor há mais de 40 anos atraás...kkkk
    Tudo tão puro, simples, sem complicações, o sentimento de podermos enfrentar tudo...
    Acredito que o amor dos protagonistas vá nessa linha e tenham de provar para tudo e todos que se amam realmente.
    Desejo uma ótima semana produtiva!
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Tenho "Mil beijos de garoto" em ebook, e estou procurando coragem para ler haha. Você e vários outros blogueiros falaram que sofreram bastante, e eu tô me preparando psicologicamente para ficar em posição fetal durante alguns longos e dolorosos dias.

    Vou tentar iniciar ainda hoje, depois dessa resenha não posso mais esperar para ler.

    Adorei o post e o blog. Beijão!
    https://bloggmundodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie!

    Guria eu to de olho nesse livro desde que ele foi lançado lá nos EUA! Minha amiga leu ele em inglês e me indicou e agora que tem em português não vejo a hora de ler ele e tirar minhas próprias conclusões, espero gostar da história como todos que ja leram!

    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Adorei os seis quotes o que mais gostou foi o penúltimo! O livro em si, já li várias resenhas, mas acredito que ele não faça o meu estilo de leitura, por isso vou deixar a dica passar.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  12. EU SEI QUE EU VOU SOFRER MUITO COM ESSE LIVRO MAIS ESTOU MUITO LOUCA PARA LER ELE AMO LIVROS ASSIM EU TAMBÉM SOU DO TIPO DE PESSOA QUE SE APEGA FACIL E NÃO NÃO SEI DIZER ADEUS ATE HOJE EU NÃO CONSEGUI SUPERAR O TERMINO DO MEU NAMORO

    ResponderExcluir
  13. Oi Sabrina, tudo bem?
    Li esse livro em inglês há um tempo e reli agora que foi lançado em PT, foi como para você: incrível. Ver esse amor crescendo, a Popy sendo maravilhosa e o Rune crush da vida é maravilhoso. Espero reler muito em breve.
    Adorei sua resenha e os quotes - quantos quotes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá! Eu AMO essa autora e todos os seus trabalhos, Mil Beijos de garotos é um livro beeeem amorzinho. E gente, eu chorei desde a primeira página haha então já dá pra ver como foi a minha situação no resto do livro. Adorei seu post ❤️

    ResponderExcluir
  15. Acho meio dificil uma garota e um garoto ainda crianças acharem que encontraram o amor de suas vidas, mas, na literatura tudo é possível. Acredito mesmo que crianças tem companheirismo, apoio e confiança. A vida dá muitas voltas, pessoas novas vão preenchendo as lacunas e acontecimentos inesperados vão aparecendo. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem? Até hoje eu não li esse livro mas morro de vontade de conhecer essa história que emociona e mexe com o coração de quem o leu.
    Achei muito bacana sua resenha e as emoções que expressou sobre o livro.
    Pretendo ler em breve.
    bj

    ResponderExcluir
  17. Hahahah eu também amo sofrer lendo! KKKK Me pego lendo alguns livros que sei que serão destruidores só pra sofrer um pouco, e dependendo do livro eu releio mesmo. Eu comprei o e-book de Mil Beijos em inglês há alguns meses, mas daí acabei colocando outras leituras na frente e não li, depois perdi meu celular e não tenho mais o app do kindle... o jeito agora é esperar comprar um. Fiquei ainda mais encantada com a história e com mais vontade de ler depois da sua resenha, que aliás ficou maravilhosa :D

    Super beijo!

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bem??? Já ouvi dizer que esse livro é uma lindeza que desgraça o coração de um ser humano hahaha e eu, além de me identificar com a premissa, tb gosto de sofrer, como vc kkkkk. Se eu quero? Com certeza! Ja ta na minha wishlist 💓

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  19. Tô buscando a coragem pra ler esse livro, meu psicológico não está preparado ainda.
    A história é maravilhosa, tua resenha está perfeita, me deixou com muitaaaaaaa vontade de ler, só estou com medo do depois kkkk

    ResponderExcluir
  20. Eu adorei a resenha!
    o enredo é super interessante. Com toda a certeza vou ler!
    é a primeira vez aqui no blog eu já estou adorando!

    ResponderExcluir
  21. Não gosto de livros sem final feliz... Mas pelas suas resenha vou dar uma chance pra ele, pois me parece emocionante. Obrigada pela resenha 😉

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Eu estou morrendo de vontade de ler esse livro, mas ao mesmo tempo morro de medo desse final que não é feliz e de ficar em depressão chorando pelos cantos enquanto leio hahaha tenho certeza que é um experiência incrível, mas não sei se leria no momento. Adorei a sua resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Olá, estou louca pra ler esse livro... Sua resenha só reforçou minha vontade. Adorei!!!
    Sei que vou chorar horrores... rs
    Mas assim como vc,sou meio "masoquista" e gosto de sofrer lendo... kkk

    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Oi alguém poderia me dizer em que página está este trecho: “Mas então ele encontrou você, ela disse. Ele encontrou você. Você ensinou a ele, com palavras e ações, que a vida não precisava ser sempre tão séria. Que a vida era para ser vivida. Que a vida era uma grande aventura, para ser vivida bem e ao máximo.” ?

    ResponderExcluir

TOPO