25 agosto 2017

Resenha: Flores Partidas - Karin Slaughter

em 25 agosto 2017

12 comentários

Irmãs. Estranhas. Sobreviventes.
Quando Lydia contou para a irmã que o cunhado havia tentado estuprá-la, Claire não acreditou. Dezoito anos depois, porém, tudo o que Claire achava saber sobre o marido se prova uma mentira. Quando vídeos escondidos no computador de Paul mostram uma face terrível do homem que ela julgava conhecer, Claire percebe que o drama de sua família tem muitas camadas, que precisarão ser descobertas antes que a assustadora verdade por fim venha à tona.

*Livro recebido em parceria com Editora* 

"As mulheres sorriem porque é mais fácil do que mandar os caras se ferrarem. E menos perigoso, porque quando um homem rejeita uma mulher, ela vai para a casa e chora por alguns dias. Se uma mulher rejeita um homem, ele pode estuprá-la e matá-la." 

Sabe aquele livro que quando você termina não sabe o que dizer sobre ele? Conhecem aquele sentimento bom de dar vários gritos durante a leitura pois não esperava que tais coisas acontecessem? Pois é, Flores Partidas se encaixa perfeitamente nas duas descrições, e se tornou de longe uma das melhores leituras do ano pra mim.

Essa semana eu trouxe a resenha de A Garota dos Olhos Azuis aqui no blog (resenha aqui) e acredito que ler estre prequel antes do livro em si tenha feito toda diferença pra mim, pois pude entender melhor como a família Carrol funcionava, a relação entre as irmãs e principalmente a alarmante situação que a cidade se encontrava com as estatísticas de desaparecimento de mulher jovens e bonitas. Mas ainda assim ele não é uma leitura obrigatória, porém se você a fizer dará muito mais sentido em algumas cenas.

A história de Flores Partidas se passa 24 anos após o desaparecimento de Julia, cada um da família lidou com essa perda de uma maneira, e a dor acabou os separando e os marcando para sempre. Mas agora com a morte do marido de Claire uma descoberta chocante irá reunir as irmãs Carrol mais uma vez, Lydia é a única que acreditará nas descobertas de Claire, e juntas elas terão que juntar as peças desse quebra cabeça para entender o que aconteceu durante todos esses anos sem elas desconfiarem, o único problema é que às vezes saber a resposta é pior do que continuar na ignorância.


"Estatisticamente, os estupradores não estupravam uma vez só. Se saísse impunes, era comum que continuassem estuprando. Ainda que não escapasse, o índice de reincidência era tão alto que era maia fácil colocar portas giratórias na cadeia."


Flores partidas me prendeu de uma tal maneira que eu não consegui largar esse livro até terminar essa história, e a cada nova página era uma descoberta diferente que me fazia gritar de angustia ou nervosismo. E mesmo sendo meu primeiro contato com a escrita da Karin Slaughter ela já entrou para minhas autoras favoritas e estou morrendo de vontade de ler todos os outros livros dela.

Esse não é um livro para fracos de coração ou de estômago, afinal a autora trata de temas muito pesados como a psicopatia, snuff porn, estupro, sequestro, assassinato, tortura, e todos eles estão diretamente relacionados com a violência à mulher, que é o foco de trabalho da autora. Você se sente angustiado em várias cenas, algumas vão embrulhar seu estômago ao mostrar o ápice da crueldade humana e o quanto um psicopata pode ser frio e calculista ao mesmo tempo. Mas ainda que tais temas sejam pesados e mostrados de forma bem real durante a leitura, você não se sente tentado a abandonar o livro, pelo contrário, a brutalidade de tal escrita te faz querer continuar a cada página, pois você assim como as protagonistas quer descobrir mais, quer ir até o fundo do poço, e quando chega lá... meus amigos... o negocio é tenso rsrsrs.


Um dos aspectos que me fez favoritar esse livro foi a destreza com que a autora aborda tais temas e conceitos, ela fala abertamente sobre a violência contra a mulher e como a sociedade inteira está contra nós, como é dificil conseguir apoio quando você é mulher e é vitima de um homem que não aceita um não. Nos colocando na mente das protagonistas tais assuntos são passados ao leitor de forma simples, e então nos vemos questionando aquilo também, pensando o quanto tais assuntos são importantes e precisam ser mais abordados na literatura, nos noticiários, na sociedade para que mais pessoas se conscientizem. 

O modo com que ela aborda o vilão da história também é brilhante, pois o psicopata, o estuprador, aquele que devemos temer nem sempre é o homem desfigurado que tem comportamentos estranhos, as vezes o vilão dorme ao nosso lado, é o nosso vizinho ou até mesmo aquele amigo com o comportamento exemplar, o qual você não desconfia que ele faça a menor coisa errada. Tal debate é muito importante pois leva ao leitor a se questionar se podemos confiar cegamente em uma pessoa ou se conhecemos todas as facetas da mesma, já que alguns psicopatas conseguem ser duas pessoas completamente diferentes e levar uma vida completamente normal sem que ninguém saiba do seu lado cruel. 


A narração desse livro é outro fator que deixa o leitor com mais vontade de embarcar nessa história, temos três narradores principais: Lydia, Claire e Sam. O pai das garotas é o que rende as cenas mais emotivas do livro, pois vemos como perder a sua garotinha o destruiu, como ele sempre esteve focado em descobrir quem a levou e como ele tentou investigar por contra própria o seu desaparecimento. Tais relatos são feitos em forma de carta/diário, para que caso Julia um dia voltasse para casa ela pudesse ler e entender tudo que ele passou.

As protagonistas irmãs também são uma surpresa a parte. Lydia sempre foi a garota que gostou de se drogar, tanto que no prequel vemos Julia comentando algo sobre cocaína, mas depois de 15 anos limpa vemos o quanto as drogas ainda tem um peso na sua vida, o quanto que essas pessoas lutam diariamente para não retornar ao vício quando um problema surge na sua vida. Ela foi a personagem que mais gostei, a que sempre estava pensando em um plano, a que estava sempre lutando para se manter viva e que queria ajudar da maneira mais inteligente. Já Claire apesar de no começo ser uma mosca morta desesperada que voa em círculos ela conseguiu me ganhar também, já que com a evolução do problema que ela tem que enfrentar ela vai amadurecendo, pensando por si só e usando o lado inteligente que a autora tanto falou que ela sempre teve (e que ficou meio escondido em 60% do livro hahaha)

"Claire sabia muito bem, pelos vídeos, que havia coisas que um homem podia fazer com uma mulher que não a matavam, mas que lhe davam vontade de morrer." 


O final dessa história é simplesmente brilhante, eu surtei em vários momentos pois este é aquele tipo de livro que quanto mais você imagina que está chegando perto de solucionar todos os mistérios, quanto mais você acha que o plano é perfeito para pegar o vilão, mais coisas aparecem e atrapalham tudo o que você já tinha imaginado. 

Flores partidas é um thriller que vai te deixar preso a cada página virada, é aquele tipo de leitura que por mais que seu estômago esteja embrulhando com tanta crueldade você não consegue parar de ler pois você quer entender qual é o limite daquele vilão e como as protagonistas vão conseguir finalmente estar um passo a frente deles. É um livro que você vai terminar querendo recomendar - pelo menos - pra meio mundo, e que vai te fazer questionar o porque de ele não ser mais famoso já que é simplesmente incrível. 

Se vocês tiverem a oportunidade de lê-lo um dia, eu recomendo de olhos fechados. Este é um livro que entrará para seus favoritos antes mesmo de chegar na metade, e que te deixará sem palavras ao termina-lo.


12 comentários:

  1. Oi,eu imaginava que a trama desse livro fosse dramática. Mas não que a autora fosse tão fundo assim em uma situação tão difícil : A violência contra a mulher de forma tão realista.
    É triste! Mas diariamente ouvimos ou lemos relatos repugnantes das maldades cometidas contra algumas mulheres.
    E realmente,na maioria das vezes tais brutalidades parte de quem ninguém sequer suspeitava.

    Quero muito ler!

    ResponderExcluir
  2. A premissa do livro é muito importante e acho que o enredo aborda bem o tema. A violência contra a mulher precisa ser discutida diariamente até que desapareça da face da terra e se é por meio da literatura, ainda melhor.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sabrina! Confesso que fiquei angustiada com a sua resenha e não sei se leria esse livro no momento, embora a curiosidade seja muito forte. São temas realmente pesados e não sei se terei estômago (já leu A síndrome E? me senti assim com ele).
    Enfim, vou deixar como dica de leitura. Quem sabe um dia eu supere essa sensação estranha.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Essa leitura parece ser daquelas bem pesadas,prova disso é que eu pude sentir um pouco da angústia do enredo através da sua resenha,sem dúvidas se tiver chances quero ler sim esse livro,pois traz dramas muito reais e que precisam ser avaliados nos dias de hoje

    ResponderExcluir
  5. Oi Sabrina,
    estou muito curiosa para ler esse livro, pois tenho lido muitos elogios para ele. Fiquei muito contente por você ter gostado e intrigada com algumas coisas que você falou, como, por exemplo, a relação das irmãs, parece ter alguma coisa aí. Gostei muito da questão da narrativa ser um ponto alto.
    Preciso desse livro para ontem.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  6. oie, assim como você esse livro me prendeu de uma forma intensa, e eu também amei o modo como a autora trata a violência contra a mulher, mostrando todos os seus lados. também fiquei de estômago embrulhado, mas quero repetir a leitura de outras obras dela.

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Eu nunca tinha lido nada sobre o livro, e confesso que, se fosse somente pela capa eu passaria reto. Imaginei um gênero totalmente diferente ao ver a capa.
    Mas, depois de ler a sua resenha, fiquei com vontade de ler, principalmente por tratar da violência contra a mulher. Até lembrou um pouco os homens que não amavam as mulheres, livro que pretendo reler.
    Adorei e anotei a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi,tudo bem?
    Esse livro já está na minha lista de desejados desde que lançou e estou de olho em alguma boa promoção para comprar um exemplar! Essa parece ser o tipo de história que eu adoro!!
    Sua resenha me deixou ainda mais empolgada!
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Oiii,

    Preciso dizer que a primeira imagem me deixou confusa: é 1 livro só frente e verso, ou o livro tem duas capas? Rs mas agora vamos a resenha, achei muito interessante e verdadeira a maneira como você mostrou o porque de o livro ter te prendido tanto e de ter se tornado o favorito. Achei muito interessante a temática do livro, e só pela premissa já da pra ver que realmente vai ser uma leitura tensa, apesar de não ser meu estilo de leitura eu fiquei bem curiosa pra descobrir como as coisas vão se desenrolar.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas, pelos seus comentários tenho certeza que é uma obra que irá me agradar multo <3
    Gostei dos elementos que compõe a obra e já vou anotar nos desejados!
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?
    Não sabia do que se tratava esse livro mas preciso lê-lo para ontem. Acho extremamente necessários os livros que tratam da violência contra a mulher, ainda mais na sociedade em que vivemos! Fiquei muito curiosa para saber como será a abordagem da autora em relação à psicopatia, snuff porn e estupro. Sugestão mais que anotada!
    ótima resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi,
    tenho visto os livros dessa autora terem um destaque considerável na blogosfera, isso somado ao fato deles abordarem temáticas extremamente importantes mesmo que mais impactantes me deixou interessada em realizar a leitura, li sua resenha de "A garota de olhos azuis" e estou pretendendo começar por ele que é gratuito e ver como a escrita da autora flui comigo, mas pelo que já li de suas impressões acredito que não terei problemas.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir

TOPO